quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Tal Qual: Nas estradas abusam da paciência dos cidadãos

Que as obras de recuperação das nossas estradas eram necessárias, não resta a menor dúvida.

Que para fazer as obras é preciso intervir no que existia e que são inevitáveis alguns transtornos à população, é também indiscutível.

Mas o que está a acontecer, em plena vila de Santa Cruz das Flores e arredores, é completamente inaceitável.

O troço de estrada entre a Boavista e Santa Cruz está fechado ao trânsito regular há muitas semanas e nos últimos tempos intransitável. E tudo aconteceu pela simples razão de que se iniciaram as obras, quando muito bem se sabia que estavam por resolver os problemas da compra ou expropriação das propriedades necessárias ao alargamento.

Há meses que se iniciaram obras no topo Norte da Rua da Esperança, frente ao Campo de Futebol, tendo-se mantido o troço fechado ao trânsito e agora aberto está em terraplanagem, cheio de covas e sobretudo com chuva é quase intransitável. E tudo porque não se resolveu a tempo o problema de aquisição de terrenos.

Revolveu-se o troço que vai dar ao Boqueirão, impedindo-o de ser alternativa à Rua da Esperança!

Simultaneamente, junto à ponte da Rua da Esperança, interveio-se também, tornando o trânsito perigoso, não só pelos materiais acumulados na berma, como pela terra espalhada no piso.

Não contentes com isto, também resolveram intervir na ligação da Rua Príncipe de Mónaco com a Estrada Regional, junto à sede do Agrupamento de Escuteiros, criando um lodaçal impressionante e dificilmente transponível para viaturas ligeiras.

A acrescer a tudo isto e simultaneamente, o trânsito de viaturas passou a fazer-se todo pelos Vales e Monte, sendo que os engarrafamentos têm sido inevitáveis, pois também por ali circulam as viaturas pesadas, em dois sentidos, até porque também se escolheu a mesma altura para fazer e transportar o desaterro do novo Hotel, deixando ruas perigosas, sem que alguém fosse obrigado a lavar, ou mandar limpar o que sujou.

Está instalado o caos, ao mesmo tempo em toda a vila, já que ninguém pode entrar ou sair em Santa Cruz sem ter de passar por algum ou alguns dos locais enumerados; a não ser que dispusesse de helicóptero!

De quem é a culpa? Das empresas que executam as empreitadas, ou do Governo que as paga e nada exigiu; ou se exigiu não obriga os empreiteiros a respeitarem?

Tal Qual: As obras têm de se fazer, mas não há que martirizar os utentes – com ar de nos estarem a dar uma esmola que temos de receber calados – começando tudo, sem nada acabar! Assim está-se a abusar da paciência dos cidadãos! E com as autoridades da terra que nos deviam defender, caladas que nem melões!

Renato Moura

Este artigo de opinião é parte integrante do jornal «As Flores», edição de 22 de Novembro de 2007.

13 comentários:

Identificado disse...

sem falar da falta de sinalização, que obriga os condutores a transgredir o codigo e adivinhar por onde tem que passar.Isto só vai acabar quando houver um acidente,por responsabilidade da empresa fiscalizadora.

Anónimo disse...

Se calhar era melhor no tempo em que não se faziam obras e nós tinhamos de andar em estradas que mais pareciam leitos de ribeiras...

Anónimo disse...

Obras causam sempre mau estar, mas têm que ser feitas não é? E o pessoal das obras ajudam sempre nas passagens mesmo que o caminho esteja interrompido. Com respeito à sinalização por vezes é esquecida.

Anónimo disse...

O pessoal das obras esta a se marimbar para os carros, e não é por ser necessario fazer obras que devem ser feitas de qualquer maneira.

Anónimo disse...

se calhar era melhor no tempo que o psd estava no governo e não se fazia obras.

Anónimo disse...

Vamos pôr o Renato a Presidente e acabar com esta pouca vergonha de obras paradas ou da santa engrácia.

Anónimo disse...

"Não, não a Comissão de Gestão não vai ganhar nada". Deve ser para rir! Mais uma para tentar tapar o sol com a peneira...

Anónimo disse...

o renato não antes o valadão .

Anónimo disse...

É triste ver que há quem prefira que não se façam obras para melhorar a nossa qualidade de vida. Sinceramente gostava de ver a casa de algumas dessas pessoas. Devem ser verdadeiros currais de porcos...

Anónimo disse...

Nas Lages já se fala em elevá-la a cidade.
Lages City, suponho...

Anónimo disse...

Coitados, fazia-vos bem ver o que está para além do vosso quintal de vez em quando... Há um mundo novo por descobrir.

Anónimo disse...

lajes city? mas que luxo! bem merece ser cidade...

Anónimo disse...

gostei dessa... lajes city!!! realmente as obras tem que ser feitas mas tambem ha que dar aos utentes possibilidades de conduzir em seguranca e de certeza que nao e com esses engarrafamentos em ruas k mal passam dois carros...!!! enfim, para mim a culpa tambem e das autoridades, porque como o proprio nome indica e policia de SEGURANCA PUBLICA e por isso deviam velar pelas condicoes das ditas estradas.. como sempre estao a espera que haja um acidente ou ate mesmo uma morte para depois e que actuarem!! esse e o dilema da ilha das flores!!!