quarta-feira, 10 de maio de 2017

Lajes irá ter incubadora de empresas

A Câmara Municipal de Lajes das Flores abriu recentemente concurso público para a construção de uma incubadora de empresas na Rua João Maurício, na vila das Lajes.

Esta empreitada foi lançada com valor base na ordem dos 520 mil euros e com prazo de execução de 18 meses. Esta é uma obra que está candidatada ao programa Açores 2020, e cujo início da empreitada está condicionado à aprovação desta candidatura.

Com a construção desta obra o Município das Lajes passa a ter disponível um espaço onde se poderão instalar empreendedores que queiram iniciar atividade económica no concelho mais ocidental da Europa, bem como poderá igualmente servir de sede da Associação Cultural Lajense.


Notícia: "sítio" da Câmara Municipal de Lajes das Flores.
Saudações florentinas!!

17 comentários:

Anónimo disse...

cheira-me a campanha e a obra nem sequer está aprovada.

Anónimo disse...

Só fiada na coisa publica e sem empreendedorismo, uma sociedade não sobrevive. Onde é que fica o caixote do lixo de uma sociedade que não valoriza o potencial humano que tem? Uma obra necessária, que precisa entrar em funcionamento quanto antes. Como não podia deixar de ser a pantesma sinistra já se pronunciou. Que adquira uma bóia e vá fazer uma novena de banhos na emblemática piscina aquecida!

Anónimo disse...

Empreendurismo a onde pode estar nas lajes me explica que sou tolo 21.59

Anónimo disse...

perto das eleições tudo vale, quero é ver a obra acabada antes das eleições já que tiveram tempo nestes 4 anos.

Anónimo disse...

Te explico, tolo.
Quantos e quantos estão fora, sem emprego, sem meios para trabalharem na sua terra?

Anónimo disse...

Voces não vaiam nesta conversa, porque já vi este filme em varias Ilhas perto de eleições e o Povo ainda está à espera das obras, depois de ler verifiquei que ainda falta aprovação.

Anónimo disse...

O João Lourenço era um Homem que não precisava andar perto das eleições para fazer obras grandes este gastou o dinheiro em forró e agora é que vem com esta obra. Haja paciência que não há gente tola que embarca num barco sem fundo.

Anónimo disse...

Depois de ter empanturrado orçamentos em cimento empastado e "obras grandes" tipo piscinas aquecidas, centros não sei das quantas e redondeais de calçada, eis que um amado seguidor vem cantar loas ao destarelo, esquecendo a bancarrota, as dividas e o descontrole financeiro.

Uma incubadora de empresas, que potencia a fixação de jovens, dá emprego e atrai investimento, não interessa.

Há décadas que se bebia nas Lajes das Flores água contra a lei, de péssima qualidade porque não tinha tratamentos. Todos calaram e num país minimamente civilizado, todos deviam ir parar ao calabouço. Houve dinheiro para tudo, incluindo para macacada, menos para assegurar a saúde das pessoas.

Por muito que custe a certas cabeças de abóbora, foi esta Câmara que arregaçou mangas, fez os investimentos necessários, e resolveu o assunto.

Anónimo disse...

O esperto das 19.19 é esta incubadora que vai resolver este problema que discretamente comentaste o discreto vou te esplicar algo fazer uma empressa é a coisa mais facil do mundo com uma unipessoal contribuinte 512 nada mais facil um logotipo tudo lindo mas o cabeça de alho xoxo precisa algo muito importante que a dita incubadora nao resolve que é povo gente pessoas procura que se torna p se chama clientes banana

Anónimo disse...

tudo serve como propaganda eleitoral, faz-me lembrar no tempo do salazar em que não se podia ouvir o radio moscovo que falava mal de Portugal e mandava retirar as tropas de Angola Moçambique e Guiné.

Anónimo disse...

Este anonimo das 21.12 ainda não sabe por onde a porca torce o rabo. Tenho mais de setenta anos e toda a minha vida bebi agua até em grotas e ainda estou vivo, em tempos passados nem uma garrafa se arranjava e então transportava-se agua numa copa de inhame fresquinha das grotas para as terras onde se andava a sachar milho no verão, e agora vem falar que se andava a beber agua contra a lei haja paciência para atirar tanta propaganda o que vale é que já não tenho paciencia para votar porque anda tudo á espera da chucha.

Anónimo disse...

É prática aconselhar as pessoas a não beberem água quando se deslocam a países atrasados do terceiro e do quarto mundo, onde as leis existem mas não se aplicam e onde os governantes são corruptos e irresponsáveis.

Eu quero lá saber se há 100 anos atrás se bebia água pela folha de inhame? Eu quero lá saber se se bebia água parada retirada de grotas e de poças emporcalhadas?

Alguém está a perguntar quantos bébés se enterravam há cinquenta anos porque bebiam águas inquinadas? Quantas vezes se lavavam "em coiro" numas celhas feitas de cedro com sabão feito de pele de porco? Vamos fazer o mesmo agora para agradar ao "cana-roca"?

Devemos é querer conhecer quem é melhor do que nós e fazer o possível para ser igual. É abrir a torneirinha e correr água em condições como acontece em qualquer lugar civilizado do mundo e deixar as folhas de inhame para outras "situações de emergência".

Está entendido ou é preciso um desenho?

Anónimo disse...

Muita falta de educação tem este anónimo das 9.46 que deve ter nascido numa selva.

Anónimo disse...

Quem é que imaginava que uma uma simples folha de inhame substituía "tantas coisas"?
Servia de garrafão, usava-se como copo, era papel higiénico, e, depois do pecado mortal, serviu de fralda a Adão e Eva.

Anónimo disse...

mas que grande inhame é este anónimo das 13.56 consegue fazer muita coisa com a folha do inhame.

Anónimo disse...

As ilhas tem poucos habitantes, é certo. As empresas que se instalarem nestas incubadoras não tem de ter olho (só) no mercado local. Tem de se voltar para fora, para o turismo, para o artesanato e para as produções voltadas para nichos de mercado pequenos mas com poder de compra.

- Os serviços de animação turística que temos não são os melhores. Pode-se fazer melhor, com mais brio e qualidade.
- Os serviços de restauração que prestamos deixam muito a desejar. Alguns são um verdadeiro desastre. Não usam produtos locais e confeccionam mal.
- O artesanato que procuramos vender não tem nada a ver com o original, que era centrado na tecelagem manual e no fabrico de utensílios de madeira.
- Os produtos da terra que produzimos tem pouco a ver com o que se fazia antigamente. A produção biológica de alimentos, tem futuro porque é procurada por consumidores com poder de compra.
- As novas tecnologias aplicadas ao marketing e ao turismo tem possibilidades de evoluir.

Banana é quem não olha para o horizonte e não consegue desviar os olhos do chão que pisa. Quem se fixa numa árvore e não vê a mata. Potencial não falta. Ajudas para quem quer empreender nunca houve tantas. Esta incubadora de empresas é exemplo disso. O que falta é vontade e, sobretudo, gente nova, com ideias, gosto pela sua terra e esperança no futuro.

Independentemente de politicas tolas, que como se sabe só tem atrapalhado o nosso desenvolvimento, há que saber elogiar quando é preciso e criticar quando há matérias para isso. Esta decisão tomada por esta Câmara é acertada e vai seguramente contribuir para atrair investimento, criar riqueza, criar emprego e abrir oportunidades aos mais novos.

Anónimo disse...

O jose das 13.14 entao nao te vou dizee para fazeres empresa mas vou te pedir dai sentado no sofa 3 tipos de empresas que podem resultar como é fazelas o mais facil o que fazer a seguir e quem sera os clientes desta em preza e servicos