terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Manuel Pereira e José Carlos Mendes (autarcas de Santa Cruz) são obrigados pelo Tribunal de Contas a devolver dinheiro à Câmara Municipal florentina

Manuel Alberto da Silva Pereira e José Carlos Pimentel Mendes, respectivamente presidente e vereador a tempo inteiro da Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores, foram (em Setembro deste ano) obrigados pelo Tribunal de Contas [TC] a repor na conta da autarquia um montante de 29.574 euros [aproximadamente 6 mil contos, em moeda antiga] que havia sido pago [pela Câmara Municipal de Santa Cruz] a uma firma de advogados por um processo que o TC entendeu ser da esfera [estritamente] pessoal dos autarcas [Manuel Pereira e José Carlos Mendes].

O caso passou-se em 2005, quando os autarcas [Manuel Alberto Pereira e José Carlos Mendes] decidiram mover um processo contra a Caixa Geral de Aposentações [CGA], que havia recusado inscrever os dois autarcas como eleitos locais para efeitos de reforma – o Estatuto dos Eleitos Locais, de 1987, conferia um direito de opção aos eleitos locais em regime de permanência, entre o regime da Caixa Geral de Aposentações e o regime previdencial da sua actividade profissional, mas em 2005 foi alterada, desaparecendo o anterior direito de opção.
Na realidade, a questão acabou por ser resolvida com um despacho do Secretário de Estado Adjunto e do Orçamento, em 2006, que deu orientações à Caixa Geral de Aposentações para reconhecer "aos eleitos locais em regime de tempo inteiro que se encontravam inscritos por cargos políticos previstos na lei nº 52-A/2005 aquando da tomada de posse do mandato para que foram eleitos em 9 de Outubro de 2005, a faculdade de, até 30 de Agosto de 2006, optarem por manter-se inscritos por aqueles cargos até ao termo do mandato". E isso abrangeu os dois autarcas [Manuel Alberto Pereira e José Carlos Mendes].

No entanto, a Câmara [Municipal de Santa Cruz] tinha já a correr um processo contra a CGA, que havia sido adjudicado a Carlos de Almeida Farinha, na qualidade de sócio da Luís Laureano Santos, Jorge Calisto e Associados, Sociedade de Advogados, por ajuste directo, num montante de 25 mil euros – incluindo as custas [judiciais], a decisão custou aos cofres da autarquia os [referidos] 29.574 euros.
Mas a decisão do Tribunal de Contas [TC] acaba por ser original, no sentido de que antes outros organismos se haviam decidido pela legalidade do procedimento – nomeadamente um parecer da Sociedade de Advogados, Borges da Ponte, Linhares Dias & Associados, e da própria Direcção Regional da Organização e Administração Pública, que embora aparentemente inócuo, tacitamente aprovava a decisão camarária de [a autarquia] pagar pelo processo [dos autarcas].

Para o TC, a posição é clara: "os processos em que os autarcas [Manuel Alberto Pereira e José Carlos Mendes] intervieram não tiveram como causa o mandato autárquico, cujo exercício se encontra balizado pelos fins ou interesses que o Município deve por lei prosseguir, e não respeitam, ainda que remotamente, a quaisquer interesses próprios e específicos da população do concelho de Santa Cruz das Flores. Como estão em causa, exclusivamente, os interesses privados dos seus autores [Manuel Alberto Pereira e José Carlos Mendes], verifica-se não existir qualquer nexo entre os gastos realizados e a gestão dos interesses públicos da autarquia, os únicos que podem por esta ser prosseguidos. Esta circunstância torna os actos praticados [por Manuel Alberto Pereira e José Carlos Mendes] inválidos. As despesas que decorrem dos processos judiciais (entre elas, as custas [judiciais] dos processos e os honorários do advogado), não se encontram abrangidas pelo artigo 21º do Estatuto dos Eleitos Locais, constituindo, por conseguinte, uma dívida dos próprios autarcas [Manuel Alberto Pereira e José Carlos Mendes] e não do Município".

E diz [o relatório da auditoria levada a cabo pelo Tribunal de Contas] que "as autarquias só podem suportar os encargos provenientes de processos judiciais em que intervenham autarcas desde que se possa estabelecer uma conexão entre as despesas realizadas e a prossecução dos interesses da autarquia. Ou seja, é necessário que os autarcas estejam, no exercício do mandato autárquico, a prosseguir as atribuições do município". E que "a Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores só deve deliberar suportar os encargos provenientes de processos judiciais em que intervenham autarcas, desde que tais processos tenham como causa o exercício do mandato autárquico e não se prove, na sentença judicial, ter havido dolo ou negligência".

No contraditório, os autarcas [Manuel Alberto Pereira e José Carlos Mendes] garantem não terem agido de má-fé e não concordam com a decisão do TC, entendendo que o tratamento do seu regime de pensões é matéria que se enquadra nas suas funções de autarcas. Não é, no entanto, o entendimento do TC, que por ter confirmado que a autarquia [entretanto já] foi ressarcida desse dinheiro acabou por não aplicar qualquer medida sancionatória aos dois autarcas [Manuel Alberto Pereira e José Carlos Mendes].

Notícia: «Diário dos Açores».
Saudações florentinas!!

43 comentários:

Anónimo disse...

como dizia o Herman:
LADEREÕES!!! LADEREÕES!!! LADEREÕES...LADEREÕES...

Anónimo disse...

e joão lourenço alguem sabe alguma coisa

Anónimo disse...

Mais vale tarde do que nunca, melhor, a justiça tarda mas não falha, com diz o povinho! Será que não existe mais nada para ser investigado...?????? Raramente engano! É muito bem feito que isto acontecer poisa vocês deram-lhe maioria, deveria ser bem pior! Em Ponta Delgada, queimados mas não cegos, abriram os olhos, votaram no PP e mandaram a sua patrícia à fava, façam com eles, abram estes olhos!

Anónimo disse...

João Lourenço poderá ter os piores defeitos do MUNDO mas deixa obra feita, dinheiro investido no seu concelho enquanto outros nada deixam a não ser desgraças como obras inacabadas, Baixa da Vila, saneamento básico a correr para o mar, Porto Velho, atentado ambiental, pedreira dos Cedros, lixeira a céu aberto, Ponta Ruiva, plantação de pneus, Vales, abastecimento de água deficiente em péssima qualidade, em todo o concelho (Santa Cruz e sua periferia, Caveira, Cedros, Ponta Delgada) … Uma câmara que não sabe gerir o que nós temos em abundância ou seja a àgua, é incapaz de gerir seja o que for! È vergonhoso faltar água no concelho porque temos água em abundância e em qualidade para exportar para outras ilhas até mesmo para o Continente! Gostava de saber o que vai na cabeça naqueles macacos? Gostava de saber aquela gente o que faz durante o horário do expediente? Alguém me sabe informar?

jose fernandes disse...

Essa noticia foi a melhor que eu ja tive nos ultimos 10 anos.oh moços isto e mais lindo do que ver algum clube dos grandes ser campeao da europa....

Anónimo disse...

Estes autarcas são mesmo mentecapos.
Há que séculos que eu venho dizendo que a exportação de água das Flores em bidons de 259 litros (aproveitados dos que vem para cá com alcatrão ou com gasóleo) seria a base do desenvolvimento da ilha. E em dois dos bidons podia-se exportar também o Manuel Pereira e o José Carlos, mas estes destinados para o país do Inferno.
Além de bidons de água fresquinha e limpída da ribeira das Barrosas também os autarcas inteligentes deviam exportar coelhos, que os há em fartura, e inclusivamente se podiam exportar já espapaçados pelas rodas do carros, que acontece ás toneladas.
Burros é que não podemos exportar porque há muito poucos, mas podemos exportar 1 ou 2 por ano, e pela SATA, tá visto.
Para S.Miguel podiamos exportar peixes-porcos que temos em abundância, e guardar prá gente os pargos e chernes, etc.. .
Não me posso esquecer dos Castanheiras que também podiamos re-exportar para Angola e Guiné.
Por último podiamos esfarelar as megatoneladas de cimento que tem sido aplicas no interior e na orla maritima da ilha, e reciclar depois juntando-se algum clinquer para disfarçar, e enviar para o Afeganistão e Iraque.
O João Lourenço também podia ir junto num 3º bidon... humhum,,,e já agora também os politicos todos dos CDS ao PCP.
Valério Alvernaz, um vosso servo e Florentino de gema

Anónimo disse...

Então o Valerio quer exportar agua em bidons de gasolina e de alcatrao e receber milhoes de euros com isso... hum ou esta ideia ta mto mto mal explicada ou eu a si nao o queria a gerir nem as lixeiras... exportar peixe porco e coelhos espapaçados e deixar o pargo e o cherne... hum mais uma vez nao me parece sensato... convém nao esquecer que Flores precisa mais do resto do mundo que o contrario!
Quanto ao tema do artigo além da devoluçao dos €€, era se tivessem vergonha na cara, demitirem-se! Pagarem advogados para causas pessoais com o "nosso" dinheiro!?!?

Anónimo disse...

O caso não merece atenção e discussão tanto quanto mereceriam outras situações na ilha.
A não ser para alimentar a coscuvilhice e mal dizer.
Infelizmente, são poucos os habitantes deste mundo que acham que o que se vem passando nos últimos 40 anos no dito mundo ocidental, advém do "poder estatal" que a democracia baseada em sufrágio universal sempre alimenta.
Por exemplo, esta crise que terá ficado evidenciada com o "subprime", só tomou a dimensão que vai ter porque deixou de haver sociedades ocidentais assente no regime de economia de mercado uma vez que os votantes alienados pelos discursos dos politicos avalizaram aquilo que os politicos chamam de "regulação", "supervisão", e outros palavrões do género, permitindo pelo menos duas coisas: o crescente peso do Estado na vida geral dos eleitores e a solidificação da "carreira politica".
De facto o problema do mundo ocidental é o do renascimento do sistema feudal de que os concertos de musica promovidos pelos municípios, o mediatismo do futebol e do jet-set são apenas exemplos do modo de ganzar os eleitores, para permitir manter a "boa ignorância" do povo e a boa manjedoura dos que estão na carreira.
A presunção de que a reclamação dos seus direitos na aposentação devia ser uma diligência a cargo do orgão de poder onde tem assento, insere-se no contexto mais alargado que eu enunciei anteriormente.
Disto há ilustrações todos os dias e em todos os lados.
Amanhã não me espantarei se na equipe de futebol de juvenis dos Minhocas o que vier a ser apontado para capitanear num jogo, exija por direito, que tenha um abono pecuniário para exercer tal missão a bem do colectivo, pois a ganza geral está a grassar como a Sida.
Também não me espanto quando ouço na TV um ganzado dizer que está à espera duma casa do Governo, dum grande empresário dizer que o problema do seu investimento é que o subsídio tarda, que a grande reportagem da RTP incida sobre o caso daquela mulher com 6 filhos que ainda não recebeu o RSI, etc..
A ilha das Flores é a ilha dos meus amores, e infelizmente vejo-a a perder o seu valor, não pelos anos passados, mas pela sua auto-prostituição a nivel social.
E a seguir ao Manuel Pereira virá outro ganzado, e assim sucessivamente, até que os eleitores entrem na clínica da recuperação (leia-se despertar para o conhecimento e reflexão) e passemos a ter homus politicus strictus sensus a capitanear nas missões realmente importantes do Estado.

Anónimo disse...

O articulista das 12,40 utilizando um vocabulario repelto de terminologia pouco acessivel pretende apenas desviar a atenção do asuunto designado por ladroagem pelo primeiro comentador deste artigo de escandaloso conteudo que pemite chegar a seguinte conclusão , roubar nao é crime desde que quando apanhado com a boca na botija se devolva o alheio retirado, mas mais escandaloso ainda e 6000 contos por um parecer,Alguem diz pedri a demesao isoo +e pouco cadeia para os dois aind e pouco

jose fernandes disse...

Essa de querer chamar ganzados a alguns jogadores dos juvenis dos minhocas nao entendo.Gostava que me explicasse melhor,ou será que nao tem filhos ou poderá vir a ter dessa idade?

Anónimo disse...

Comungo totalmente da opiniao que entende que a crise politica economica e financeira são as razoes que levaram os autarcas a benefeciarem de dinheiros publicos em proveito pessoal, mas o que são 2000 contos comparados com as medidas oufalta delas do administrador do banco de portugal que ganha por mes , digo recebe 25000 euros e de governantes que a 6 meses diziam que os bancos portugueses estavao de saude e ja estão dois na falencia dos americanos falarei mais tarde

Anónimo disse...

joão lorenço envestio mas foi nele
tapado

Anónimo disse...

Respondo ao Sr, José Fernandes dizendo que eu não disse que os juvenis dos Minhocas eram ganzados, até porque ainda não tem idade de votar.
Os ganzados são os que já votam e tem votado nesta merda, que a gente vê, de que o assunto do Sr,Manuel Pereira e José Carlos Mendes são mera ilustrações.

Anónimo disse...

Gaiola, gaiola , gaiola, gaiola

Anónimo disse...

este tapado que diz que o joão lourenço investiu nele, é mesmo tapado que não consegue ver um bói á distancia de um metro. se consegiu-se veria as obras que ele já fez e está sempre com vontade de fazer mais e eu acredito que ele consegue porque foi sempre um homem de luta.

Anónimo disse...

O josé fernandes é burro! o outro utiliza uns termos mais eruditos e pronto já os "josés fernandes" desta ilha não percebem nada! É mesmo por isso que os ganzados vão governando a seu bel-prazer... excesso de "Josés Fernandes" nesta ilha, em Portugal e no Mundo!

Anónimo disse...

repara se todas as obras não tem materiais de construção quanto mais a camara comprar melhor tapado
repara se os materiais são comprados aqui

Anónimo disse...

Realmente só com muito má fé é que se pode condenar assim.
Se fosse comigo eu recorria.
Porque na realidade eles tinham razão. E foi-lhe reconhecida razão através do despacho do Secretário de Estado que deu orientações à Caixa Geral de Aposentações para reconhecer "aos eleitos locais em regime de tempo inteiro que se encontravam inscritos por cargos políticos previstos na lei nº 52-A/2005".


Esta gente só foi a tribunal porque foi vitima de uma injustiça por parte do estado. Reconhecida.
É justo que o estado, depois de os ter tentado "enganar", os obrigue a pagar a sua defesa?

Tenham paciencia.
Só os cabeças de burros, os tais que devem ser exportados, é que não querem perceber.

Haja saúde!

Anónimo disse...

os politicos pensam que a gente não pensa, mas a gente sabe que só os politicos visados se viriam aqui defender am anónimo...
LADRÕES...LADRÕES!!!CHULOS!!!!

Nelson Fraga disse...

O Estado tem a obrigação de fornecer representação por um advogado que assegure os direitos a qualquer cidadão que cometa um delito, ou seja acusado de ter cometido um delito, e não tenha meios financeiros próprios para ter/nomear advogado próprio. A isso chama-se Defesa Oficiosa.

Ora, os presentes senhores (neste caso) não eram acusados de nada ou arguidos de coisa alguma! Antes pelo contrário, os senhores em causa, interposeram eles próprios um processo contra a Caixa Geral de Aposentações. Em defesa do que pensavam ser os seus direitos, o que lhes é absolutamente legítimo.

O que já não me parece nada legítimo é que esses senhores queiram/quisessem que a "entidade empregadora" pública [a CMSCF] lhes pague a sua acção judicial que tratava de um assunto/interesse estritamente pessoal/privado, como é o caso dos seus regimes da pensão de reforma.

Nem pretendo falar do ajuste directo [pelo Executivo da CMSCF] duma "tarefa" orçada em 25 mil euros! E da sobre-importância dada a um parecer duma mera sociedade de advogados... um parecer jurídico é isso e não mais (nem menos!) do que isso, um pa-re-cer jurídico, uma opinião; não pode (de forma alguma!) suplantar a decisão de peritos como são os elementos integrantes do Tribunal de Contas.

Enfim, os cargos políticos existem estritamente para servir a Comunidade, não para nos servirmos deles em assuntos meramente privados (por mais que sejamos titulares desses cargos públicos eleitos)... Nem por mais razão que tenha sido dada (posteriormente) com o despacho do Secretário de Estado Adjunto e do Orçamento.

Anónimo disse...

Por este caminho, só os piores é que se abalançam a cargos públicos eleitos.
Ninguém, no seu perfeito juizo, depois disto, está disposto a sujeitar-se a eleições, sofrer a devassa da sua vida privada, trabalhar para o colectivo, aguentar com a má lingua de toda a espécie e feitio, e ainda, reparem bem, ter de pagar uma fortuna para aquilo que tem direito ser reconhecido.

Cães!

Anónimo disse...

Penso que o problema é que, ao contrário do que alguém defende, não se trata de um assunto/interesse estritamente pessoal/privado.
Trata-se de um direito que os ditos autarcas tinham, e que, de forma abusiva e incompreensível, como se demonstra no despacho, lhes foi sonegado por uma entidade pública.

É injusto que o que tenham a pagar, para que uma instituição do estado lhes reconheça um direito que tem, suplante, o que tem de receber.

Se esta situação não incidisse sobre autarcas, gerava-se logo um berreiro.
Era uma falta de democracia.
Era a justiça que temos.
Eram os pobres a serem espoliados.
Como se tratam de figuras públicas, atira-se-lhes tudo o que é pedra e aparece à volta das mãos.

Informo um dos comentadores de cima que não conheço os autarcas em causa. Nunca na minha vida contactei com eles. Não vivo nas Flores nem sou Florentino.
Agora usar usar do anonimato para fazer acusações graves como as que aqui aparecem nalguns comentários, assassinando publicamente o caracter de pessoas, é que não me parece nada correcto.

Anónimo disse...

Sinceramente até gostei...
Estes "senhores" da ilha das flores que arranjam tachos a seus filhos, amigos e terceiros por enteresses ja mereciam!
O tribunal de Contas também podia dar um saltinho a administração do centro de saudade. E por falar em centro de saude como é que os bons espectadores florentinos ainda não fizeram noticia do facto de a enf ana teresa(aquela garnde e forte)ir acompanhada de seu marido na carrinha da instituição para domicilios em dias não laborais??? estranho.

Anónimo disse...

esses rapazes de santa cruz dão pouco relevo a esta noticia.

Anónimo disse...

Mais um anónimo, o de cima, a tentar esfaquear uma profissional, pelas costas, sem mostrar a cara, lançando no ar suspeitas.
Essa forma de actuar, terrorista e assassina, não é, do meu ponto de vista compatível com os direitos mais básicos de qualquer cidadão.

Qualquer pessoa que não gosta de outra, vem aqui e, impunemente, pode difamar, pode por em causa o bom nome de quem lhe apetecer, pode assassinar o seu carácter de quem não gosta, pode fazer o que quiser.

Se isto não é terrorismo, é o quê?

Este blog, onde os comentários são visionados antes de serem publicados, devia ter mais cuidado no que deixa sair.

É que se por um lado as pessoas que elegemos devem ser responsabilizadas pelos seus actos de administração, e há mecanismos para isso, por outro, tem direito à sua dignidade e bom nome.

Este blog, ao que parece, é um tribunal de terreiro, onde os juizes, e assintentes, de pedra na mão, tem a cara tapada.

Como ja referi, não conheço os autarcas em causa, nem ninguém me passou procuração de defesa.
Agora estão eles no meio da praça.
Amanhã, quem sabe, alguns dos apedrejadores?


Não é assim que se faz o futuro de uma terra.

Marlene disse...

resumindo e concluindo,quem concorda que nao deviam devolver o dinheiro a camara so pode estar a beira de um internamento do foro psiquiatrico.aonde ja se viu,nao estando em questao se tem razao ou não,usar o meu dinheiro,sim o meu e o de todos aqueles que descontam,para resolver assuntos pessoais?eu infelizmente votei neles,mas com toda a certeza que na proxima nao votarei.

Anónimo disse...

este que diz não ser de cá e não conhecer os autarcas, vá enganar outro, menos a mim que conheço bem o paleio do betinho, está encomodado ? então cumpra com as suas obrigações e seja correcto, nas suas funções.quem não quer ser lobo não lhe vista a pele., ou foi para autarca a pensar nos munícipes? uma gaita! os cargos politicos, trazem muita chatice, sim, e não se consegue agradar a todos;mas dão muito prestigio,e poder aos que gostam que lhe beijem a mão, além de muito dinheiro, liberdade nos horarios, viagens, e acima de tudo bons salaários. é por isso que as pessoas atropelam-se para entrar, vendem a alma ao diabo se for preciso, e o nosso betinho anda sempre com o dentinho de fora a rir de todos, sente-se superior, e mais esperto,pois que sofra as consequencias dos seus actos. sejam honestos, não é deixar fazer obras mesmo em frente a igreja matriz sem serem licenciadas, deixar fazer uma casa no bairro de N.senhora de FÁTIMA,mesmo em cima das fossas das outras casas. isto é muito grave, e só faz isto quem se está a rir dos florentinos, e sabe que um dia que causarem problemas, já não está nas flores,isto são actos de canalhice, e quem pensar o contrário, é mesmo burro, e não pode ser florentino, ou então, obteve dos mesmos previlégios, tudo a balda.quem faz ou deixa fazer, coisas no genero, e muitas mais que muitos de nós sabemos. não tem a ver com gostar, ou não gostar de certa pessoa, tem a ver com o nosso património, não dos autarcas, remendaram as ruas, e pensam que fizeram grande coisa, as borradas estão aparecer, todos os dias, eu podia enumerar dezenas delas, mas não tenho tempo nem paciencia,. esta gente não merece o dinheiro que ganham....
quem tem pena deles que espere para ver, o betinho já foi para a reforma, para não ter que ir trabalhar quando perder o cargo!!!
e vem aqui armar-se em vitima!!!!
vitima são os que tem que trabalhar até andarem de moletas, e a receber um salario mísero!!!!
se fosse para receber o salároio minimo nacional, ninguem queria ser politico...e por hoje é tudo...

Anónimo disse...

E alguém se sujeita às linguas afiadas, ao devassar da sua vida privada, ao trabalho a duplicar, para ganhar o salário minimo e sofrer o povo?

Brinquemos.

Esse senhor de cima se nao esta satisfeito tem 2 caminhos possiveis.
1º - se acha que há irregularidades, com coisas devidamente fundamentadas (bocas há muitas, só por si não servem), recorre, como cidadão enganado aos tribunais a pedir justiça.
2º tem o peso do seu voto. nas próximas eleições, muda de rumo.

Agora vir para um espaço público como este, difamar, caluniar e assassinar o caracter de quem não gosta, ainda por cima anónimamente, é que não é de homem!

Por muita irregularidade que ele tenha cometido, vc é ainda mais culpado do que ele.
Porque não se assume, nem acusa com a cara destapada.

Que moralidade tem você para acusar alguém, ou, pior, para o apedrejar na praça pública, com a cara tapada?

Marlene disse...

e o senhor tambem nao esta fazendo o "julgamento" do comentario que nao concorda de cara tapada.ou será que se enganou no teclado e postou anónimo?

Anónimo disse...

E se fosse para ir aos tribunais a cada irregularidade que existe por aí,não havia tempo nem dinheiro que chegue.
Este caso de desvio de dinheiros públicos na câmara foi desvendado graças a uma denuncia ANÓNIMA, sabias? Por isso o anonimato pode ser importante, sobretudo quando se ataca a mafia.

jose andrade disse...

muito bem dito Marlene, eles gostam de ladrar mas no anonimato, são como os cães que ladrão escondidos na casota, nunca sabemos se é um pastor alemão ou um cão de fila, neste caso estes devem de ser rafeiros.

Anónimo disse...

Cara Marline
Comente a minha opinião e deixe lá minha pessoa.
Eu ofendi alguém, por acaso?
Eu insultei alguém, por acaso?
Eu suspeitei de alguém, por acaso?
Eu apedrejei alguém, por acaso?
Eu tentei, cobardemente, assassinar o caracter de alguém, por acaso?
Eu tentei julgar na praça pública, alguém por acaso?

Apenas, tentei fazer entender que qualquer pessoa tem direito ao seu bom nome. E que é crime, difamar sem provas.

Apenas tentei fazer entender que os cargos públicos, sobretudo em lugares pequenos como as Flores, propiciam a má lingua, a devassa da privacidade, o despeito e as invejas.

Mas pelos vistos, há gente que só não é terrorista porque, o meio pequeno, socialmente lhe torna impossível. Porque no fundo, lá bem no fundo, é.
Se calhar até, ao Domingo vai à missa. Como se nada tivesse feito.

Haja o minimo de vergonha e honestidade.


Fernando Costa
(Já sei que me vai dizer que fernandos há muitos.... . E Marlines?)

Anónimo disse...

ok,de acordo consigo,mas nao vejo aonde o o ofendi.por acaso e marlene e nao marline.

Anónimo disse...

ainda bem que sempre apareceram algumas pessoas a dar relevo à noticia. força rapazes.

Anónimo disse...

Hum... cheira me que este fernando e esta marlene ainda acabam enrolados... já vi começarem por menos! agora insultas tu agora insulto eu... toma lá dá cá!

Anónimo disse...

Voltando á enfª Ana Teresa, ela anda com o seu marido dentro da carrinha sim, mas em horário laboral, e com o conhecimento do conselho de administração e para kem estiver mal informado não comente na ignorância!!! os horários dos enfermeiros dos domicilios são flexiveis,desde k cumpram as 7h diárias!Para quem anda mal informado, aki vai mais uma informação-kem lhe paga kd os doentes lhe telefonam fora do seu horário laboral por isto ou akilo???kem lhe paga kd se desloca no seu carro particular a casa de um utente de noite porque o utente lhe pede k lá vá fora de horas por isto ou akilo??? kem paga a ajuda k o marido não sendo funcionário e não recebendo um centavo dá kd "trabalha" para o centro de saude????
para os mal informados AKI VAI MAIS UMA INFORMAÇÃO- ENKUANTO ELA ANDA, E SEMPRE, COM CONHECIMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, HÁ KEM LEVE O CARRO PARA CASA SEM CONHECIMENTO DA VOGAL ADMINISTRATIVA E DA DIRECTORA CLINICA, SO COM O CONHECIMENTO DA VOGAL DE ENFERMAGEM!!!!
e se formos para falar em irregularidades....é melhor ficar por aki.

Anónimo disse...

A enfermeira Ana Teresa, pessoa que apesar de não conhecer, me merece todo o respeito, foi, ao que parece, vitima do terrorismo anónimo que grassa neste blog.
E quem ataca sabe muito bem onde se move.
Está num meio pequeno. Onde toda a gente se conhece. Onde o murmurio é prática corrente e o boato facilmente alastra.

Seria importante saberem que os computadores tem uma coisa chamada IP. E que através do IP se consegue chegar ao proprietário.
E que quem é ofendido, se assim o entender, pode-se queixar ao ministério público que por sua vez pode solicitar à judiciária uma investigação.
Isto só é anónimo, até certo ponto.

Anónimo disse...

Boas a todos!!!
Quando me disseram ontem por mensagem para vir a este blog, fiquei realmente muito surpreendida!!!
Nunca fui tão importante na minha vida!!!! Estão-me a dar uma importância que nunca tive.
A quem falou de mim, ou melhor escreveu, venho agradecer a importância que me dão.
É sinal de que realmente, para bem ou para mal, faço alguma diferença!!!
Bem hajam! e muito obrigada.

Enfermeira Ana Teresa Arsénio

Anónimo disse...

Não sei, nem quero saber e não sou de cá! Mas este blog mete nojo... é lavagem de roupa suja, atrás de lavagem de roupa suja... ataques pessoais que nada têm a ver com os artigos... Apetece-me mandar tudo e todos à m%$"$!!!! Por isso esta terra não evolui... será que ainda tem futuro?

Anónimo disse...

o que tem a ver com a noticia a enfermeira ana teresa ????? que mal tem ela dar boleia ao marido,no carro do c. de saúde?? por acaso ele destroi o carro, tanto quanto eu sei , essa enfermeira até é bem porreira, sai cedo de casa, vai fazer o seu serviço, e não chateia ninguem, vai directa para a sua casa, nem pára no serviço, para saber as cusquevelhices do serviço.. nunca a vi a se meter na vida de ninguem..graças a Deus, que ao menos esta é assim, porque há outras e outros lá dentro, que se mordem todos os dias, mordem mais que trabalham, para os doentes que temos no centro, bastavam metade delas, para estarem ocupadas e não se morderem como cadelas.

Anónimo disse...

pelo que aqui vejo a enfermeira é mesmo corajosa, não teve medo de dar a cara a responder.!!!!força amiga, és uma boa enfermeira além de corajosa, onde estiveste aprendeste a trabalhar, olha que cá não vais aprender nada..nem queiras!!!!! onde estás só podes aprender a corte e costura, e conheço-te muito bem, sei que não gostas nada disso. continua a desempenhar bem as tuas funções, e deixa as cadelas das tuas colegas falarem?????????

Anónimo disse...

este blog parece que é comentado só por pessoal de fora...nem nunca ouviram falar na ilha das Flores...
Claro está que eu também não sou de cá...nem nunca cá estive...nem nunca ouvi falar de ninguém....

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.