sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

A "nossa" prendinha de Natal: cem mil visitas ao «Fórum»... muito obrigado!!!

Atingimos as cem mil (100.000) visitas a este «Fórum ilha das Flores», ao fim de 513 "posts" e quase dois anos de existência.
Devemos agradecer a todas as pessoas que (muito graciosamente) colabora(ra)m com a produção de textos e conteúdos seus para publicação no «Fórum ilha das Flores», mas também (e não menos importante) deve salientar-se a relação inter-activa com quem nos visita e lê e deixa (muitos, muitos) comentários... A tod@s muito, muito obrigado!!
Saudações florentinas e... continuação de Boas Festas!!

8 comentários:

farto de mamões... disse...

Parabéns aos autores deste formidável blogue.

De facto este blogue é um dos mais lidos e representativos dos Açores, embora a sua matriz seja essencialmente florentina.

É um dos poucos meios onde se pode exercer a liberdade de opinião e expressão (sem ofender o próximo ou entrar em baixarias).

Sei que em todos os Açores, Portugal, EUA, Canadá,Basil, este blogue é muito visitado, quer por florentinos emigrados nessas paragens, quer por pessoas que um dia visitaram as Flores e ficaram encantados com a Ilha.

A todos um bem haja.

Anónimo disse...

Portugal Continental...

Anónimo disse...

Apenas uma observação aos executivos do blogue.
Já sabemos que isto não será publicado.

Nas palavras como: Todos- eles-
aqueles - amigos- etc etc, abrange
os dois sexos masculino & femenino sem necessidade plantar um -arroba- (@) como fazem:(el@s) (aquel@s) (tod@s) (comentador@s)

Isso é ridículo! Na língua portuguesa, especialmente numa publicação, jornal, ou em tudo que sewja, não se deve adicionar essa particular invenção.
Roque M. Dias

Nelson Fraga disse...

meu caro Roque M. Dias,
discordo da sua opinião [expressa no comentário acima] mas (ao seu contrário) não a rotulo de ridícula, simplesmente discordo dela mas aceito-a de bom grado. com muito cházinho...

na internet, o símbolo "@" é usado às vezes para [simultâneamente] indicar os dois géneros [masculino e feminino] duma palavra, ao invés da convenção mais tradicional de se colocar o feminino entre parêntesis [fonte: WikiPédia].

acho que desde que seja por tod@s legível [e parece-me que o seja], permita-me que eu escreva como muito bem entenda... não tenho da língua portuguesa uma noção tradicionalista de imutabilidade, veja lá que "bué" já vem no Dicionário da Academia de Ciências de Lisboa e tudo! :p

Anónimo disse...

Um professor da minha faculdade, tem um letreiro na porta do seu gabinete que diz: Wikipédia Não!

Justifica-se nas aulas dizendo que por lá abundam muitas asneiras.

Caro Nelson Fraga. Não me parece muito abonatório citar este dicionário.

Nelson Fraga disse...

O objectivo da WikiPédia é criar uma enciclopédia livre — no sentido de que o seu conteúdo possa ser utilizado, copiado, modificado e distribuído por qualquer um, para qualquer fim, mesmo comercial. Em sentido mais amplo, a WikiPédia pretende produzir colaborativamente uma compilação do conhecimento humano, de forma imparcial e apresentando recursos confiáveis.

A WikiPédia tem a sua própria política de edição, através de um processo de edição colaborativa. Mas há várias coisas que a WikiPédia não é, uma delas é (claramente) não ser um dicionário.

Findas estas citações [acima], alego que a WikiPédia não é absolutamente infalível, claro que não o é; mas (mesmo assim) parece-me bastante fiável pela forma colaborativa como é "editada" pela comunidade (de que tod@s podem livremente fazer parte) e que está em contínuo árduo trabalho de (auto)correcção.
Certamente a WikiPédia é bastante auto-crítica e põe-se a si mesma à prova (e contra-prova), algumas vezes bastante mais do que certa sabedoria académica que medra agarrada à sua cátedra e escolástica de antanho.

Enfim, asneiras certamente abundam em muito lado, se calhar em todo o lado... Muito provavelmente até neste meu próprio texto/comentário... Aproveitando a época [de paz, fraternidade e la-la-la...], se calhar só seria proveitoso tod@s assumirmos que não somos "don@s" da razão e sermos mais pacientes e tolerantes com visões e ideias diferentes das nossas; e não logo rotular de "ridículo" ou "asneira" ou qualquer outro "mimo"...

Anónimo disse...

Caro Sr. Fraga;
Para colmatar o golpe, diz-se:

"falta que não é admitida,
mais a dor é resentida"

Tenha um Novo Ano Muito Feliz
R.M Dias

Anónimo disse...

há muito tempo que não passava por aqui por falta de tempo, mas hoje quero desejar bom ano ao Nelson fraga, e elogialo, pelo seu vocabulário muito devercificado e intelectual,parabéns nelson, sempre tens aprendido alguma coisa, ao contrário infelizmente de alguns leitores e escritores no blogue, que tratam tão mal a nossa lingua.aliás abonam tão mal a nossa ilha, seria bem melhor não escreverem nada do que dizerem tantas tolices.