sábado, 11 de maio de 2013

CDEF é campeão regional de voleibol

A equipa do Clube Desportivo Escolar Flores (CDEF) sagrou-se campeã regional de voleibol no escalão de juniores masculinos. Após uma derrota por 3-1 em sets muito renhidos ontem à noite, na tarde deste sábado os jovens florentinos deram a volta à final numa gloriosa vitória também por 3-1.

Para a posteridade aqui ficam os nomes dos novos campeões regionais: João Rosa, Oseias Sousa, Ricardo Vieira, João Almeida, Ruben Nóia, Filipe Fraga, Edi Lourenço, João Lopes, Emanuel Nóia, Bruno Câmara e André Tavares. E ainda a doutora Carla Reis como fisioterapeuta e o professor João Quaresma como treinador. Muitos parabéns a todos!

Deve agora seguir-se a participação do CDEF na fase nacional do Campeonato de Juniores de voleibol, como justos representantes dos Açores. No entanto os valorosos campeões do Clube Desportivo Escolar Flores podem vir a defrontar-se com alguns problemas no financiamento das deslocações. Será que essas dúvidas(?) no apoio público também aconteceriam se os Açores fossem representados por uma equipa de São Miguel?

Saudações florentinas!!

2 comentários:

S.M.I.LE disse...

Sem dúvida uma vitória muito bem ganha :)
Muitos parabéns a todos

Anónimo disse...

É evidente que não.
Se os vencedores fossem de S. Miguel nem se punham dúvidas.

Se os de S. Miguel tem apoios os outros, por ora açorianos também, também devem ter.

Se não há dinheiro para uns também não há para outros, incluindo para o Santa Clara.

É para acabar com as participações a nível nacional? Que se acabe, porque os nossos impostos não esticam.
Mas que se acabe para todas as modalidades, incluindo o futebol, o golf, o automobilismo e o ping-pong.
´
É a propaganda turística, dizem os entendidos.
Pois é.
Resta saber com que resultados.
Quanto é que o ralie Açores sorve aos nossos impostos, em nome do turismo?
Quanto é que certas equipas de futebol sorvem ao que esmifradamente pagamos em nome do turismo?

Como povo, temos idade para começar a ter juízo.
que já justificou poucas vergonhas