terça-feira, 3 de novembro de 2015

“Pedido de Casamento” em Santa Cruz

A Jangada Grupo de Teatro apresenta a sua nova peça “Um Pedido de Casamento” no Museu municipal de Santa Cruz, no próximo fim-de-semana (dias 6, 7 e 8 de Novembro).

Uma família com uma criada, ou uma criada com uma família? Uma mãe que quer casar a sua filha, ou a filha que não sabe que a sua mãe quer casar? Um pretendente com tantas maleitas, que não sabe qual o mal que padece, ele é arritmia, taquicardia, afecção cardíaca, hipertensão que mais parece uma supertensão, tudo lhe causa suores frios, até um “pica pica” nos olhos, mal sabe se no olho esquerdo ou no olho direito, mais parece uma conjuntivite do género viral bacteriológica. Procura uma verdadeira dona de casa, uma mulher que não sabe cozinhar, que não sabe fazer a lida da casa, que não é bonita nem culta, que mais poderá ele querer? Tudo muda quando num jornal oficializado foi publicado um decreto legislativo regional regulamentar a dar-lhe posse das suas exíguas e humildes terras, os pastos da “Borrenca dos Bois” que confinam na extrema sul/norte com a floresta da “Cana Roca” junto à “Lagoa Salgada da Erva Patinha”.

Saudações florentinas!!

7 comentários:

Anónimo disse...

Quando é que sai uma peça sobre as distintas individualidades políticas da nossa praça?
As cenas preconizadas e postas em prática por tais personagens são bem fáceis de passar ao teatro! Aliás são o próprio teatro!

Anónimo disse...

Boa ideia anónimo das 17.46 e não esquecendo o alentejano que é um grande ator.

Anónimo disse...

Gostava de ver isto em palco, é preciso coragem a barraca abana,estatrei na primeira fila da frente para ver.

Anónimo disse...

Todo e qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência!
Anónimo das 05/11/2015, 17:46:00, é uma ideia sem pés para andar.
Já viu o que se iria saber? Ou melhor já se sabe mas não se diz!
Todos tem o rabinho bem preso.

carolina_da_saia disse...

Não concordo com nada disso. O Teatro é uma manifestação de cultura;deve divertir, entreter e cultivar. Também pode denunciar situações erradas e contribuir para a sua melhoria, mas nunca invadir a privacidade de pessoas. Que direito têm alguns,mesmo ou sobretudo,sob a capa de uma personagem,de criticarem ou ridicularizarem os seus semelhantes? Isso é inadmissível!

Anónimo disse...

Caríssima carolina_da_saia, a questão prende-se muito mais com o preconceito de que os políticos são pessoas de uma integridade e perfeição invejáveis e intocáveis, quando na realidade possuem tantos, ou mais, telhados de vidro e defeitos como qualquer membro da sociedade!
Ninguém quer ver a vida privada de outros exposta, no entanto anseiam por uma justiça social mais digna de forma a se sentirem iguais, mas o receio de represálias, cada vez mais presente e latente, faz com que a população se retraia!
Ou você também é daquelas pessoas que os consideram entes divinas?

Fórum ilha das Flores disse...

Adenda informativa com vídeo-reportagem da correspondente local da RTP Açores, Susana Soares: "Grupo de Teatro A Jangada apresenta «Um Pedido de Casamento»".