quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Construção do [novo] navio Atlântida está [a modos que] "encalhada"...

O navio Atlântida não vai chegar aos Açores dentro do prazo estabelecido pelo contrato celebrado com os Estaleiros [navais] de Viana do Castelo.

De acordo com uma notícia divulgada [ante]ontem pela [rádio] Antena 1 - Açores, os Estaleiros [navais] de Viana do Castelo confirmam que “é defeituoso o projecto do [navio] Atlântida”.
O comandante António Raposo, presidente do Conselho de Administração da operadora AtlânticoLine, refere ao [jornal] «Açoriano Oriental» que efectivamente os Estaleiros [navais] de Viana de Castelo notificaram a operadora de uma avaria a nível da construção, que não está a pôr em causa a sua estrutura. “Fomos realmente notificados de um problema de estabilidade em avaria”, concretizou [António Raposo]. Clarifica que não se trata da estabilidade normal do navio, porque nesse aspecto o navio encontra-se bem. “Estabilidade em avaria significa a estabilidade do navio quando tem um acidente e sofre alagamentos”, explica [o presidente do Conselho de Administração da AtlânticoLine].

O comandante António Raposo declara que foi enviado pelos Estaleiros [navais] de Viana do Castelo um conjunto de propostas para a resolução do problema da estabilidade em avaria, que está neste momento a ser analisado. Aquele responsável pela operadora marítima açoriana garante que “vamos dar uma resposta atempada aos estaleiros”.
António Raposo manifesta dificuldades em adiantar quando estará o navio [Atlântida] nos Açores, porque “a proposta que nos enviaram é muito técnica e engloba várias vertentes, desde alterações de anteparas a correcções de portas”. “Não são coisas que levem muito tempo a fazer mas que são muito complexas e que implica um estudo que da nossa parte vai levar uma semana ou duas ”, declara. O comandante Raposo assegura que “vamos comunicar a nossa resposta aos estaleiros o mais breve possível”.

Os Estaleiros [navais] de Viana do Castelo vão assegurar os custos inerentes às reparações que serão feitas no navio Atlântida. O contrato celebrado previa que o navio fosse entregue até 30 de Setembro de 2008 ao Governo [Regional] dos Açores, com um mês de carência. Na pior das hipóteses, o navio [Atlântida] deveria ter sido entregue até 31 de Outubro [passado], segundo António Raposo.
Por decisão do Governo [Regional] dos Açores, decorre nos estaleiros [navais] de Viana do Castelo a construção de dois novos navios tipo “ferry” que ficarão propriedade da Região por via da AtlânticoLine. O [navio] Atlântida constitui o primeiro. Os dois navios deverão estar disponíveis, para começar a operar em conjunto na Região, durante o Verão de 2009.

Antes de [o Governo Regional] entregar a exploração do transporte marítimo de passageiros e viaturas à AtlânticoLine, esta tarefa foi assegurada pela Transmaçor, operadora marítima na qual o Governo [Regional] detém parte do capital social. A AtlânticoLine, de exclusivo capital público, foi criada em 2005 com vista a proceder à exploração do transporte marítimo de passageiros, veículos e mercadorias; procede também à prestação de serviços de pilotagem e de reboque e à gestão náutica e comercial de navios. A operação de transporte de passageiros e viaturas em toda a Região tem decorrido com o recurso ao fretamento directo de navios nacionais ou estrangeiros, como é o caso de 2008, ou através da contratação de uma empresa que assegure esse serviço.

Notícia: «Açoriano Oriental».
Saudações florentinas!!

9 comentários:

Anónimo disse...

E os barcos do Canandiano? Já podiam estar a operar desde o principio do ano, e sem apoios finançeiros.

farto de mamões... disse...

Encalhados vamos ficar nós com a desastrada politica socialista nos tranportes marítimos.

Já andamos há mais de dez anos nesta novela de barcos e barquinhos.

Já foram consumidos milhões e milhões.

E ninguém é responsável.

E depois aparecem aqui uns engraçadinhos a não quererem que o comentador signatário diga as verdades...

Anónimo disse...

também digo encalhado mas já à anos não sei de que estão á espera de entrar em movimento os barcos do canadiano natural de são jorge.

Anónimo disse...

e os milhoes que a açor lyne comeu do governo o ps ea sua mafia

Anónimo disse...

eu já nem posso ouvir falar destes barcos que até já me enjoa.

Fórum ilha das Flores disse...

No portal do Governo Regional dos Açores é prestado um esclarecimento da AtlânticoLine sobre a construção de novos navios para as ligações de passageiros entre as ilhas:

Face a declarações públicas relativas ao processo respeitante à construção de novos navios para as ligações de passageiros entre as ilhas [açorianas], a AtlânticoLine esclarece o seguinte:

1. O processo de adjudicação dos navios aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, pela AtlânticoLine, obedeceu às regras concursais em vigor e os contratos foram submetidos ao visto do Tribunal de Contas.

2. No concurso a AtlânticoLine forneceu o estudo prévio dos navios onde se indicavam, de forma meramente indicativa, as suas características essenciais.

3. Competia aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo elaborar o projecto definitivo, bem como proceder à construção dos navios, de acordo com o estipulado no caderno de encargos e no programa do concurso.

4. Há cerca de um mês atrás, os Estaleiros Navais de Viana do Castelo e na sequência de testes de inclinação feitos ao primeiro dos navios a fornecer, detectaram um item que não era cumprido, que é o da estabilidade do navio em avaria.

5. Os Estaleiros Navais de Viana do Castelo apresentaram à AtlânticoLine uma proposta para solução deste assunto, que em princípio não implica a alteração dos pontos essências do concurso, como sejam: a operacionalidade nos nossos portos e a velocidade.

6. A AtlânticoLine está a analisar esta proposta, para muito em breve tomar uma decisão sobre esta matéria.

Anónimo disse...

mas quem está preocupado com essses barcos?????já tem a lancha dos corvinos que resolve isso tudo, para que querem mais barcos se este verão o barco andou quase sempre sem passageiros ???? deixem de bater no ceguinho. para quê barcos se ninguem tem dinheiro para viajar????há aqui uns chatos que não se cansam de por abaixo no governo...quem é capaz de fazer melhor,??? roubar sim, aproveitar sim, mas fazer , poucos tem vontade e ideias.

Fórum ilha das Flores disse...

Noticia o «Jornal Diário» que o "PSD exige o relatório sobre os erros no projecto do navio Atlântida"...

O PSD/Açores exige que o Governo Regional divulgue o relatório completo dos Estaleiros [navais] de Viana do Castelo, no qual são identificados os erros do projecto de construção do navio Atlântida.

Em requerimento enviado à Assembleia Legislativa [Regional] dos Açores, o deputado social-democrata Jorge Macedo solicitou, igualmente, o "documento completo" dos estaleiros com as alterações propostas para "remediar os 'disparates' e a falta de estabilidade em avaria" do navio.
A exigência da documentação feita pelo parlamentar do PSD/Açores surge na sequência das declarações do presidente do conselho de administração dos Estaleiros de Viana do Castelo, que afirmou, em Outubro, na comissão parlamentar de Defesa da Assembleia da República, que o processo de construção do navio "é uma história muito triste"e que "o projectista fez um mau trabalho e uma série de disparates".

"Este é o corolário de uma sequência de episódios nebulosos e nunca explicados, que já consumiram 50 milhões de euros, envelope financeiro anexo à maior trapalhada da história da Autonomia, o transporte marítimo de passageiros e viaturas", afirmou Jorge Macedo. Para o deputado [regional] social-democrata, "o silêncio do Governo Regional, perante tanta incompetência e negligência, não é admissível numa democracia adulta".
O deputado pretende ainda que o Executivo justifique a escolha dos Estaleiros de Viana do Castelo, "que já tinham demonstrado evidente incapacidade na construção dos patrulhões para a Marinha".

Anónimo disse...

Não é a 1º vez que a Atlanticoline é comida de cebola pois reina a ignorancia a incompetencia bem como falta de humildade para reconhecer os erros e mudar. Da minha experincia de trabalho por vezes aquilo que parece incompetencia é desonestidade, compadrio e roubo