terça-feira, 10 de novembro de 2009

Empresários das Flores querem que a ilha seja (re)abastecida semanalmente

Os empresários da ilha das Flores consideram que as habituais rupturas no abastecimento de produtos que ocorrem no Inverno podem ser resolvidas com a deslocação semanal de um navio de carga, mas a questão depende da disponibilidade de embarcações.

“A vinda de um navio de carga todas as semanas, seria uma mais valia para os empresários da ilha das Flores”, afirmou Carlos Silva, do Núcleo Empresarial das Flores, em declarações aos jornalistas no final de uma reunião com o secretário regional da Economia.

Carlos Silva recordou que “as rupturas no abastecimento notam-se especialmente na época do Natal”, salientando ainda que o facto desta ilha ser abastecida apenas quinzenalmente “obriga a um maior investimento por parte dos empresários”, refere. “Se o barco viesse uma vez por semana, em vez de quinzenalmente, apenas seria necessário adquirir metade dos produtos”, frisou, destacando ainda as implicações do abastecimento quinzenal ao nível de produtos frescos.

Para Vasco Cordeiro, esta aspiração dos empresários [florentinos] “é legítima”, mas a sua concretização não depende apenas da vontade do Governo Regional. “O Governo [Regional] está disponível para trabalhar no sentido de melhorar o serviço que é prestado”, afirmou, frisando, no entanto, que o aumento da frequência [da ida à ilha das Flores] do navio de carga “está dependente das disponibilidades [de embarcações] existentes”.

Além desta questão, os empresários da ilha das Flores pretendem também ver resolvidas questões como o aumento do número de voos da SATA e a sua articulação com as ligações aéreas a Lisboa e ao Porto. A realização de uma feira anual na ilha das Flores e o aumento do número de tomadas eléctricas no porto de pescas, para que seja possível ligar mais contentores de frio, são outras questões levantadas pelos empresários.

O Núcleo Empresarial das Flores representa actualmente 45 empresários desta ilha dos Açores.


Notícia: «Açoriano Oriental».
Leia-se ainda uma notícia da RDP/Antena 1 Açores, onde são apresentados alguns dos pontos que constam no Memorando do Conselho de Ilha a ser apresentado ao Executivo Regional.
Na presente visita estatutária às ilhas ocidentais, o presidente do Governo Regional avisou que "recusa recuperar estradas para salvar [empresas de] construção civil".

Saudações florentinas!!

23 comentários:

Anónimo disse...

Não deixa de ser interessante a preocupação dos empresários:(re)abastecer em vez de exportar.

Anónimo disse...

eles querem coisa que dei pouco trabalho.

Farto de ignorantes disse...

Isso é conversa para boi ver.
Os empresários porque é que não têm stock em armazem?
Não é por falta de não terem armazéns.
Bem sei que a fruta,iogurtes,e mais uns "produtitos" têm prazos limitados.
E o resto?
Santa velhaquice,ou então não têm mais nada de importante para questionar o Governo.
Falta de ideias?
Quer me parece que sim.

P.S.Relembro os mais esquecidos que durante uns anos,e não foi à muito,a Mutualista escalava esta ilha de 15 em 15 dias e a Transinsular todas as semanas.
E o problema(falta de bens nas lojas) era identico ao de agora.
Venham pastar,com o devido respeito.

Anónimo disse...

farto de ignorantes,disseste tudo,eu ja nao preciso dizer nada.

Anónimo disse...

Não há nada nas lojas,seja no dia a seguir ao barco como na semana a seguir.Barco todas as semanas para quê?

Anónimo disse...

sou do tempo que a ilha das flores tinha o dobro da população e o barco só vinha de mes a mes e que eu saiba nunca morreu ninguem á fome. aja paciençia.

DR.PARDAL disse...

Ser empresário nos Açores, e principalmente nas Flores, não é fácil.

Quando alguém quer abrir uma empresa, uma loja ou montar um serviço, surgem logo das catacumbas meia dúzias de fiscais ou solta-se a má-lingua do costume.

Se eu fosse comerciante, o melhor era deixar nas prateleiras alfarroba e ração para esses srs funcionários públicos que têm sempre o "seu" certinho ao fim do mês e ainda criticam quem se esfalfa para ter uma oferta variada de produtos aos consumidores.

Eu se fosse o Braga, punha vocês a pão-seco e a cerveja sagres zero!

Anónimo disse...

mais 700 mil sem ter grande utilidade seria muito mais util arranjar algumas estradas

Farto de ignorantes disse...

Não custa nada esperar mais meia duzia de meses e vão ver como se têm uma superficie com tudo o que se deve ter num comércio.
E não me refiro ao Senhor Braga,esse não conta..é só "tiros de shut gun" para o ar e gargalhada.O resto é conversa.
Esperem que já faltou mais,e ele não vai reclamar do navio ser 15 em 15.

Anónimo disse...

eu ouvi que os comerciantes recebem um subsidio do governo para teremsetocos em armazem ou será que querem mais um subsidio dos contribuintes.

Anónimo disse...

o sr.farto de ignorantes não quer-nos dizer quem é que vai ter essa superficie?é que me disseram que era para ser nas lajes das flores será mesmo lá?

Anónimo disse...

ouvi dizer que era uma companhia de S.Miguel mas que não era Modelo nem solmar quem será tambem não sei.

Anónimo disse...

também ouvi falar em santa cruz que ha um empresário imigrante que quer fazer nas lajes um hotel de cinco estrelas nus terrenos no porto e com piscina de natação para provas.

Farto de ignorantes disse...

anonimo das 22h33 do dia 12,
Lourenço e Lourenço,conheçe algum comerciante em Santa Cruz mais bem organizado e com tudo em dia?
Eu não gosto do estilo da pessoa em si,mas isto pouco interessa,as verdades,essas sim têm que ser ditas.

DR.PARDAL disse...

Esse Lourenço uma vez foi apanhado na baixa de Lisboa num programa de "apanhados" a explicar o que era o "Dia Mundial da Couve".

O rapaz é esperto.

Anónimo disse...

o farto de ignorantes tem razao.o senhor lourenço e o comerciante mais bem organizado.nunca teve as arcas frigorificas desligadas durante a noite para poupar energia.alguns dos outros ja o fizeram,como o amigo do dr.pardal.

Anónimo disse...

o sr.A.Lourenco + o sr.Braga + o Sr.J.Lourenco ambos tem mais que um comercio e o mesmo dono em suas lojas diferentes tem precos diferentes acreditem que ja os visitei este verão e notei isso quanto a mim não devia ser mas...não sei como se alguem souber dizer o porquê que diga.

Anónimo disse...

sei responder.o material em stoc mantem-se enquanto o novo sobe mais nada.

Farto de ignorantes disse...

E a fruta velha que fica de um navio para o outro?
Passo a explicar,
como às vezes(poucas,e ainda bem) não vendem a fruta toda no dia que o barco chega,guarda-se no frio.
Depois ,o dia que o navio volta(é sempre o dia em que as pessoas vão à procura de fruta fresca,devia ser nova)primeiro mete-se a antiga à venda e depois a nova.
E esta hem?
Nem preciso de dizer quem faz isso.
Perguntem ao Dr.Pardal...

DR.PARDAL disse...

Se todos os comerciantes fossem sérios como o Sr.Braga toda a gente comia fruta fresquíssima e não comiam produtos com os prazos de validade esgotados ou carne re-congelada.

Não fosse o Sr.Braga a espevitar a concorrência vocês comiam "comida da loja" à base de enlatados ou rações de combate, tipo biscoitos, chispalhada de feijão, linguiça picante de S.Miguel ou latas de atum.

O que vocês têm é dor de cotovelo!

Farto de ignorantes disse...

Na mesa do Dr.Pardal é lagosta e caviar de certeza.
Que mal têm comer uns enlatados de vez em quando?
Olhe que a vidinha não está para muitas brincadeiras.
Vir para aqui falar na seriedade de uns e de outros é que dá para rir.
Dr.Pardal,aconselho vxa a estudar a história +/- recente de alguns retornados(sim,aqueles que levam um chuto no cu do sitio para onde emigraram) da nossa terra.

you understand me?
sorry,my english is very bad.

Anónimo disse...

Nunca pensei haver alguem que ponha a mão no fogo pelo Braga! Mas há!
A questão é:
Será por fascinio (paixao) pela pessoa, ou compensaçao pecuniaria?
no final das contas, não se morde a mão que nos dá de comer!

Anónimo disse...

eu a ver esta foto faz-me lembrar o nosso conteraneo que agora não me lembro o nome que sempre acreditou que o porto iria ser feito nas lajes e que acreditava que este porto que um dia iria ser uma cidade virada ao mar. eu com estas obras e com a marina pronta leva-me a pensar que este nosso conteranea tenha razão que um dia seja a realidade.