sexta-feira, 8 de outubro de 2010

100 anos do Farol da Ponta das Lajes

Embora em 1881, como reflecte o Plano Geral aprovado dois anos mais tarde, se previsse a edificação de um farol na Ponta dos ilhéus de Água Quente, acabaria em 1894 por se decidir instalá-lo na Ponta das Lajes.

Conforme consta da memória descritiva e justificativa:

"Tendo sido encarregado de estudar e escolher, com o capitão-de-fragata Xavier de Brito, um ponto ao S.E. da ilha das Flores para a collocação de um pharol, depois de termos percorrido todos os pontos ao sul da ilha das Flores, desde a Ponta do Capitão até à rocha Alta, achamos que o único sítio (...) era a Ponta das Lajes ou Ponta S.E. da ilha das Flores.

A Ponta das Lajes acha-se situada entre a Ponta do Capitão (para Este) e a Ponta da Lomba Grossa (para Oeste). As razões que nos levaram a escolher este ponto de preferência a qualquer outro foram a sua situação avançada para Sul Este que lhe faz abranger um sector de 208º, a sua pouca altura acima do nível do mar e a proximidade em que se acha da vila das Lajes que fica apenas a 1,5 kilómetros do sítio escolhido para a collocação do pharol e as boas condições geológicas do terreno que devem simplificar a construção.

O farol na ponta SE da ilha, ilumina não só o Sul, o que é de grande vantagem para a navegação que vinda da América procura esta luz, mas também o canal entre a ilha das Flores e a do Fayal."

A Comissão encarregada em 1902 de propor as alterações a introduzir no Plano Geral aprovado em 1883, pronunciar-se-ia pela instalação na Ponta das Lajes de um aparelho de 2ª ordem, mostrando três clarões brancos de 15 em 15 segundos, cujo preço era de 49 mil francos.

O farol da Ponta das Lajes entrou em funcionamento em 10 de Outubro de 1910, conforme atesta o Aviso aos Navegantes nº 6, de 29 de Agosto de 1910:

"Communica a Direcção Geral da Marinha o seguinte:
Que no dia 10 de Outubro de 1910 principiará a funccionar o pharol da Ponta das Lages, ponta SE da ilha das Flores. O apparelho iluminante é dióptrico de 2ª ordem de rotação, mostrando grupos de 3 clarões brancos e rápidos de 20 em 20 segundos, e compõe-se de dois grupos de três lentes de 0m,70 de distância focal. Está montado em torre de alvenaria, de secção quadrada de 10 metros de altura, do solo à aresta superior da cornija. Sobre esta ergue-se a lanterna de secção circular com murette e cúpula metallica, pintada de roxo-terra. Junto à torre e symetricamente dispostos a Este e Oeste d’ella estão os edifícios, de um só pavimento, para habitação dos faroleiros. A pequena distância a NE fica a villa e porto das Lages. O horizonte marítimo iluminado é de 208º30’. (...) O alcance luminoso em estado médio de transparência atmospherica é de 32 milhas."

O farol da Ponta das Lajes entrou em funcionamento em 10 de Outubro de 1910. A sua torre tem, na sua totalidade, 16 metros de altura e 99 metros de altitude, sendo a fonte luminosa um candeeiro de nível constante a petróleo. A rotação da óptica era produzida através da máquina de relojoaria. Em 1938 o candeeiro de nível constante foi substituído pela incandescência pelo vapor do petróleo.

Foi electrificado através de grupos eletrogéneos em 1956 e a fonte luminosa passou a ser uma lâmpada de 3.000 watts, permitindo um alcance de 29 milhas. A potência da fonte luminosa foi reduzida em 1984 com a instalação de uma lâmpada de 1.000 watts/120 volts, passando o alcance para 26 milhas. O farol foi electrificado em 1990 com energia da rede pública.

Entre 3 de Outubro de 2000 e 18 de Outubro de 2001 decorreram obras de remodelação no farol. Por este motivo, durante este período, funcionou um farolim provisório em substituição do aparelho iluminante do farol. As obras de remodelação do farol ascenderam a 130 mil contos, ficando equipado com a mais moderna tecnologia, suportada em meios informáticos, a partir de 2001, permitindo aos técnicos da Direcção de Faróis entrar no sistema do farol a partir da Central de Faróis, em Paço de Arcos.
Saudações florentinas!!

9 comentários:

Anónimo disse...

É com muito orgulho em saber que o Farol das Lajes das Flores está próximo dos cem anos. Parabéns Lajes das Flores, e Parabéns a todos os Faroleiros que passaram por este farol. Assina um Lajense ausente que se orgulha ser de uma Vila que tem um Farol com 100 anos.

Fórum ilha das Flores disse...

Eis o Programa das comemorações do centenário do Farol da Ponta das Lajes:

Hoje, dia 8 de Outubro de 2010

Às 16 horas ocorrerá uma cerimónia comemorativa presidida pelo Contra-Almirante Chefe do Departamento Marítimo dos Açores.

De 9 de Outubro até 30 de Novembro

Das 14 horas até às 17 horas: o Farol estará aberto a visitas (para visitas escolares é favor agendar com o Chefe do Farol: 917 710 655).

A Marinha - Capitania do Porto de Santa Cruz das Flores convida todos os cidadãos a visitar o Farol da Ponta das Lajes nas datas e períodos indicados, desfrutando assim da oportunidade de descobrir este marco centenário.

Anónimo disse...

Toda a vida me disseram que este farol era assombrado.
São estreloiços de noite.
Portas a bater sem mais nem menos.
Gritarias no meio de tempestades.
Correntes a arrastar.
Enfim.
Alguém tem mais pormenores ou quem me contou, exagerou?

DR.PARDAL disse...

Casas «assombradas» é coisa de gente doida!

Anónimo disse...

Denis disse:
Bem haja!..Este Farol das Lajes, e os seus conservadores. Visitei este Farol, quase diariamente no tempo das férias escolares.

O senhor Fonseca (faroleiro) e sua esposa, e uma filhinha, eram muito amigos dos meus pais. Eu ia levar-lhe o almoço quase sempre no tempo das férias.

Ele, o Sr. Fonseca, como um segundo pai para mim. Já em S.Miguel, muitos anos depois, o sr. Fonseca, (porque eu o reconheci) abraçou-se a mim a chorar, e a lembrar-se do que me havia acontecido, ficar orfão de pai e mãe tão novinho. Hoje, ao ver o Farol das Lajes a fazer anos
eu faço os meus juntamente.

Não acredito que haja espíritos no Farol das Lajes,mas sim, na cabeça de quem os inventa. O Farol das Lajes,além de patrimonio portugues deveria ser Patrimonio Mundial, por ser o marco onde termina a ponta ocidental da Europa.Algumas vezes, subi, acompanhado, até lá acima, onde existe o proprio farol.
Dá saudades!
DCA

Anónimo disse...

Cá está o acordo ortográfico a meter-se na minha escrita. Outro comentário foi-se, somente por eu teimar em meter acentos que não lhe convem.DCA

Anónimo disse...

Este Farol das Lajes, é ainda, o desassombro dos navegadores perdidos.
Quantos e quantos que navegam no alto-mar, ainda se desorientam, e, ao ver o reflexo do Farol das Lajes dizem: "olhai, lá está terra á vista" Terei razão?
DCA

Anónimo disse...

Farol meu amigo
Que me viste nascer
Tenho saudades das tuas voltas
Que iluminava meu quarto
Até ao amanhacer.
Um Florentino Ausente.

Anónimo disse...

De acordo!..
Eu nasci ao meio dia,
Assim minha mãe dizia:
Que a luz foi a do Sol;
E depois no meu crescer,
Consolava-me a ver,
Os reflexos do Farol.

Querido Farol das Lajes,
Voto p'ra que sempre hajes,
A mandar o teu reflexo;
Que alumies pescadores,
E guies os navegadores,
Neste mundo tão complexo
DCA