domingo, 18 de janeiro de 2009

Sata quer optimizar recursos [humanos] sem reduzir os efectivos nas várias ilhas

Este é o objectivo da transportadora aérea açoriana, apostando para isso na centralização de serviços [de vendas] nos aeroportos e aeródromos em que opera.

A obtenção de ganhos qualitativos, através de uma optimização de recursos sem redução de efectivos ou esvaziamento dos serviços disponibilizados nas várias ilhas, constitui objectivo permanente da transportadora aérea açoriana SATA.

De acordo com o Executivo [regional] açoriano, accionista da companhia, é no quadro dessa aposta que a empresa encara a possibilidade de centralização de serviços nos aeroportos e aeródromos em que opera. A sua localização central, as boas acessibilidades e espaços de estacionamento que oferecem, fazem com que determinados aeroportos sejam naturais pontos de distribuição e de vendas, obrigando a SATA a dotá-los de estruturas e serviços comerciais, adianta o Governo [Regional].

Os responsáveis governativos [regionais] referem, ainda, que ao longo dos últimos anos os passageiros da companhia têm manifestado interesse crescente pelos serviços prestados nos balcões de aeroportos e aeródromos, usando-os nos períodos antes ou depois dos voos, com economia de tempo.
Refira-se que a transportadora aérea açoriana dispõe de uma rede de 21 pontos de venda, estando presente nas nove ilhas do Arquipélago.

Notícia: «Jornal Diário» e o sempre inestimável "serviço informativo" do GACS [Gabinete de Apoio à Comunicação Social, da Presidência do Governo Regional dos Açores]. Entretanto, a SATA aumentou as tarifas aéreas [para o Continente e Madeira] em 5 euros.
Saudações florentinas!!

8 comentários:

Anónimo disse...

Muito bem. Dois meses depois de fechar as lojas nas Ilhas mais pequenas, lança um programa de pré-reformas a que aderem os mais velhos, e desta maneiura, não se mandou ninguém para casa ...

farto de mamões... disse...

Na linguagem tecnocrática destes gestores "públicos", o termo "optimizar" significa despedir....

Anónimo disse...

No seguimento do comentário anterior, considero que nesta situação, optimizar tem mesmo de ser "dispensar" porqueo que lá está mais parece um asilo. Para uma média de 1 2 aviões por dia, vcejam só quantas pessoas lá estão abrigadas. É um despropósito. Assim, só pode ser vemsmo co,m dispansas de pessoal, seja de que maneira for.

Anónimo disse...

Deve ser para poder abaixar o preços das passagens.....

Anónimo disse...

Há quem veja a SATA e outras empresas regionais como agências empregadoras, ou seja, com a obrigação de garantir postos de trabalho e pagar ordenados, sem contrapartidas de qualidade.
Ora sendo pública, a SATA vive dos nossos impostos. Se não necessita dos serviços, porque é que os tem de pagar?
Racionalizar significa ter um numero de empregados adequado ao que se produz.
Ponto final parágrafo.
Ou querem que a SATA se transforme nos transportes de autocarros geridos pelas camaras?

Anónimo disse...

Há aqui certas pessoas que não merecem nem o ar que respiram....deviam acabar com todos os empregos nas Flores....e depois iam comer bosta de vaca. Cambada de inteligentes

Anónimo disse...

Onde está a aplicação do Estatuto Politico e admisnistrativo dos açores,no seu todo,,????
As leis enquanto aprovadas,são para serem cumpridas,.
Mesmo sujeitas ao tribunal constitucial,até deliberação em contrário,são leis da republica,,
onde ficaram as bandeiras da região que sempre foi portuguesa,onde numca Portugal foi espanha,????
Qual a credibilidade desses centralistas do terreiro de passos,porque teem atávicos medos.??do quê,,

Nunca como agora é preciso lembrar

ANTES MORRER LIVRS QUE EM PAZ SUJEITOS,,

E vou içar a bandeira,do MILHAFRE onde for preciso,ao lado da PÀTRIA,



(livre administração dos açores pelos açorianos)

Anónimo disse...

Acabar com os empregos não.
Deviam sim acabar com quem recebe um ordenado sem produzir nada no fim do mês!