quarta-feira, 23 de junho de 2010

AAiF suspende recepção de doentes do concelho das Lajes

A Associação Amigos da ilha das Flores (AAiF) suspendeu a recepção de doentes provenientes do concelho das Lajes das Flores, uma vez que esta autarquia está em falta com a assinatura do protocolo actualizado (entre AAiF, Câmaras Municipais das Flores e Juntas de Freguesia dos respectivos concelhos) e com o pagamento da verba referente ao protocolo entre as duas entidades.

A associação que promove diversas actividades e acolhe doentes da ilha das Flores [em tratamentos na ilha de São Miguel] conta com o apoio das Câmaras Municipais de Santa Cruz e Lajes das Flores, sendo que estas contribuem para esta causa, na medida em que é do interesse de todos e benéfico, sobretudo, para os habitantes das Flores.

Ao que o «Diário dos Açores» conseguiu apurar o município das Lajes das Flores só pagou a comparticipação relativa ao ano de 2009 no passado mês de Abril e depois de enviada uma nota à autarquia mais Ocidental da Europa foi esclarecido que não receberão qualquer doente até que seja actualizado o protocolo estabelecido, enviado em Janeiro de 2010 para os dois municípios das Flores.

Contactado pela reportagem do «Diário dos Açores», João Lourenço, presidente da Câmara Municipal das Lajes das Flores, confirmou esta situação, mas adiantou que nos próximos dias irá acertar o protocolo, sendo que em causa estão alguns pontos que o município quer corrigir. João Lourenço fez referência ao facto da Câmara Municipal ter estado, desde o princípio, em parceria com a associação “e este problema será ultrapassado rapidamente”. A AAiF terá recebido nos meses de Fevereiro e Março alguns doentes provenientes do concelho das Lajes, mas agora as Juntas de Freguesia e o município estão já informados que até que seja restabelecido o protocolo, o nº 89 da Rua do Peru só receberá pessoas provenientes do concelho de Santa Cruz das Flores.

Na última assembleia-geral do organismo micaelense ficaram estabelecidas estas condicionantes que resultaram nesta divergência por ter havido um acerto face a um aumento derivado do valor de inflação. Esta cláusula do subsídio não teria sido actualizada nos últimos dois anos, mas agora face ao aumento da estrutura do edifício a associação decidiu fazer um acerto no protocolo com os municípios das Flores, tendo o de Santa Cruz das Flores procedido ao pagamento no prazo estabelecido. O valor anterior era de 2.500 euros e foi inflacionado com mais 97 euros e meio. A Câmara Municipal das Lajes refere que por ser parte integrante desde os primórdios da associação também tem uma palavra no processo e segundo o presidente da autarquia a Câmara “está a analisar para formalizar um novo protocolo”, referiu João Lourenço.

Contactado pelo «DA», Jacinto Avelar, presidente da Direcção da AAiF, salientou que a associação “enviou o protocolo para a autarquia no mês de Janeiro devidamente actualizado com os novos presidentes de Junta e com as alterações do aumento de capacidade da casa (mencionando, ao mesmo tempo, os valores de inflação) não obtendo qualquer resposta”, disse. Jacinto Avelar sublinha que “se existe alguma alteração a realizar pela Câmara Municipal, que já tem o protocolo desde Janeiro, a AAiF não percebe porque nunca foram contactados para tal nem foram ouvidos os presidentes das Juntas de Freguesia do concelho”, afirmou.

De referir que a estrutura principal do edifício da AAiF pode receber 10 pessoas simultaneamente, contando com 5 quartos para os hóspedes, que recebe quase diariamente.


Notícia: «Diário dos Açores».
Saudações florentinas!!

21 comentários:

Anónimo disse...

O João Lourenço e as desculpas dele . Ainda vai arranjar maneira de dizer que a culpa afinal dele nao ter pago o que deve é de alguém e não dele. PAGA O QUE DEVES .

Anónimo disse...

É engraçado, como uma associação faz-se santa por "receber doentes a custo zero", mas depois assim é que se vê. Toca a prejudicar os doentes sem posses das Lajes, porque a câmara não pagou o devido.

Solidária esta instituição? Não me parece...

Anónimo disse...

É preciso alguma coragem para tomar uma atitude dessas...
Pena é que os munícipes aqui das Lajes sejam prejudicados por culpa do presidente da sua autarquia...é uma tristeza!

Anónimo disse...

Ao anónimo das 10h16 .... parece que não leu nem percebeu o que realmente se passa...os pagamentos parece que sempre foram efectuados com atraso...a verba de 2009 só foi paga este ano...e a deste ano devia ter sido em janeiro...e até agora nada...
Não me parece que a associação seja rica para suportar as despesas que implica ficarem lá hospedadas até 10 pessoas em simultâneo (água,luz,gás,limpeza, manutenção, etc)e as verbas das câmaras são para ajudar e para que as pessoas possam ficar de graça.
Admira-me é quem está a ser prejudicado não fazer barulho nem reclamar nem ir à Câmara pedir satisfações...

Anónimo disse...

ao anonimo das 10:16 ,simplesmente digo que parece-me que a associaçao nao é santa nenhuma, nem se quer fazer passar por tal, contudo e para quem tem 2 ou 3 dedos de testa, sabe que efectivamente uma associaçao do tipo nao tem rendimentos proprios, daí a importancia dos valores acordados entre as autarquias e os ''pretocolos'' ....
aos politicos ... simplesmente digo... para o que querem ha dinheiro...
para terminar, a verba em falta suponho que nao seja para usufruto de quem lá trabalha, mas sim para os custos de manutençao da sede da associaçao para que possa bem acolher quem necessita...
espero que em breve tudo se resolva... e aqueles que trabalham para uma associaçao digna um bem haja...

Anónimo disse...

É uma situação pequenina,nada que não se resolva com dialogo.Vergonhoso esta situação chegar à comunicação social,mas enfim...

Pato Bravo disse...

Nem quero acrEditar no que acabei de ler.Como é possível tanta falta de vergonha por parte de quem trata dos pagamentos?
Eu não acredito que isso está acontecer.Há que resolver o mais rápido possível.As pessoas não tem culpa desta situação,e mais,provavelmente muitas votaram PSD.

Anónimo disse...

João Lourenço não paga, "porque quer corrigir uns pontos".
Mas não diz que pontos.

João Lourenço pensa que as instituíções que servem os seus municipes, funcionam com cascas de lapa.

A Camara Municipal das Lajes não conhece as clausulas do protocolo que assinou?


Então e a Camara compromete-se com uma coisa e depois falha, porque quer corrigir "pontos"?
É o mesmo que pedir dinheiro a um banco, assinar um contracto com as suas cláusulas, e depois não pagar porque já não aceita as condições?

Depois da pretensão da piscina aquecida - e para isto não falta dinheiro - faltava agora esta.

Anónimo disse...

Infelizmente ambos tem a sua razão! Apesar de que a Camara Muncipal das Lages de certeza que térá os tais 2500 euros disponíveis para efectuar o pagamento, sem necessitar tanta demora na transferência do dinheiro! Por outro lado a AAIF, óbviamente que necessita de verba para fazer face aos custo fixos com o serviço que presta aos florentinos que se deslocam para S. Miguel! Mas sinceramente isto é tudo uma questão de usar o telefone e falar. Não é necessário tomar as medidas que a Direcção da AAIF tomou. A não ser que estejam subjacentes questões meramente políticas e se for esse o caso aí a história é diferente! Senhores deixem-se de questões políticas quando a questão for em prol do bem dos Florentinos!
O João Lourenço, é concerteza competente porque há longos anos vem merecendo o voto popular e esse é soberano!

Anónimo disse...

Então, os refiladores do concelho das Lajes,--eu disse: (refiladores os que o são)incluindo sua Exa o ganancioso presidente da autarquia mais do que ninguém, por estar em falta com o pagamento que contribui para os seus municípes que precisam de ajuda quando cá chegam. Não vê ele que: está a ser ingrato para os que tentam ajudar
,recusando contribuir para benefício do povo da sua ilha?

Não vê esse camarário, dum fogo que lhe pegue que, a AAIF é um grupo de pessoas que nada lucram em fazer bem aos que lhes chegam a essa casa na rua do Peru em Ponta Delgada?
Eles, simplesmente acolhem os florentinos necessitados do seu concelho!..Não vê esse faminto, que isso será para fazer bem aos seus? Será esse indivíduo mesmo desconfiado?

Esse homem não vê que, a AAIF é um grupo de gente amiga, da sua ilha da Flores, mas que não podem pagar de sua algibeira as despesas que isso acarreta?..

Porque não vá esse presidente numa curta visita a S.Miguel,mesmo de surpresa, e, por duas horas juntar-se aos AAIF e averiguar as suas desconfianças?

Ficaria mais bem-visto, passar por (São Tomé)do que negar um benefício
ao seu povo.
É é ser mesmo desconfiado.

Não vê ele que, mesmo com o pagamento em dia, sem haver demoras,já é um grande auxílio haver gente benéfica para ajudar de graça?

Não sabe ele que, de ano p'ra ano tudo aumenta, e que ter uma casa ao dispor dos necessitados, numa cidade como esta, acarreta grandes despesas?

Esse João Lourenço está mesmo a pedir aquilo que chamam aqui em Ponta Delgada, quando querem por uma pessoa na rua:(levar a SATA-fire)quer dizer: RUA COM ELE!
Isso não é ser um bom presidente!

Outro Lourenço aqui.
Mas de boa gente!

Anónimo disse...

Esse coitado pobre das 10:16 deve ter algum problema visual e um QI de admirar.
Diz-me: como percebes ser santa ou solidária ?
Para ti já trabalhar de graça e ser voluntário não é ser solidário?

Ou querias ainda que além deles
investirem o teu tempo, e seus préstimos, pagassem pelas depesas da casa que alberga os florentinos, incluindo luz,água, e muito mais??
Tens uma cabeça que, cortada ao meio nem prestaria para tacos de carroça.
Fecha lá essa bocarra se nada tens a dizer

Anónimo disse...

Não tem dinheiro para a luz e água mas para as grandes jantaradas que fazem já têm... desculpem mas não atirem areia para os olhos...

Claro que a Câmara deve apoiar este tipo de instituição, mas que culpa têm os habitantes das Lajes? Devem ser prejudicados por causa disso? Por amor de Deus... é ridícula esta decisão!

Anónimo disse...

Para a tal piscina aquecida, há dinheiro. Para os doentes do concelho, não há.

O desalastro vem sempre, de não se distrinçarem prioridades.

Anónimo disse...

Ao anónimo das 22.23 "isto é tudo uma questão de usar o telefone e falar" .... foram efectuados inúmeros contactos (dezena talvez) ... em vão....

Ao anónimo das 08.08 "Não tem dinheiro para a luz e água mas para as grandes jantaradas que fazem já têm" ... até parece que as jantaradas são oferecidas, os jantares são pagos por quem lá vai comer e a pequena margem de lucro que possa haver é precisamente para ajudar na manutenção e despesa da casa.

Falem do que sabem!!!

Anónimo disse...

acho que nao deveriam ter cortado os beneficios às pessoas do concelho das lajes só pelo facto da ´camara municipal´não ter pago o que devia ... poderiam pedir as pessoas necessitadas desse mesmo concelho para pagarem as ditas despesas que cada um faz e assim contribuiam para os que tem mesmo falta nao serem largados assim como uma ´coisa qualquer´... o que era preciso era ver mesmo se as pessoas que vao para esta casa para ´consultas´ em vez de gastarem dinheiro em carros de aluguer e outros luxos antes ajudassem a associacao ( sim porque muitos tem dinheiro para umas coisas e nao tem para os bens de primeira necessidade )... em vez de graça antes pagassem um pouco por dia e assim as despesas seriam pagas mesmo por quem as faz ... a verdade é que andam todos muito mal acostumados ...
louvo o trabalho de quem se dedica a ser solidario e gastar do seu proprio tempo a servir os outros e ainda tem de ouvir palavras grosseiras pelo que fazem , da minha parte fico envergonhada e espero que se resolva esse assunto pelo menos para que os que tem mesmo necessidade tenham condicoes de permanecerem nessa ilha ...

Anónimo disse...

esto plenamente de acordo com a que diz o anónima das 16,20.

Anónimo disse...

o AAIF é uma pequena organização de benevolentes, a que lhe deram o nome de (associação) que está para já mal aplicado.
Organização sevia ser chamado e nunca Associação. Este termo associação está mal-aplicado mesmo a o podermos levar para o lado direito; enfim.

Acerca das festas, dos jantares, esse cabecinha sem juizo das 22:23
não fale sem ter conhecimento.
Quem lá vai comer pagou para tal.
Mete-te em copas lingua má.

DR.PARDAL disse...

Meus amigos, há aqui muita confusão.

A AAIF não é nenhuma instituição de solidariedade social.

É fundamentalmente uma associação cultural e recreativa.

Chamou voluntáriamente para si algumas valências sociais com vista a ajudar alguns florentinos mais carenciados aquando da sua deslocação a S.Miguel por motivos exclusivos de saúde (ou falta dela).

Para tal subscreveu protocolos com as autarquias florentinas, as quais financiam em parte alguns desses custos de estadia e também são elas que encaminham as pessoas abrangidas por esse apoio logístico.

Assim resta a cada autarquia honrar a sua assinatura nesses protocolos de forma a não prejudicar aqueles munícipes que necessitam de apoio.

De facto, sem ovos não se pode fazer omeletes, e não vai a ser a AAIF ou os seus dirigentes que vão substituir-se à Segurança Social nem vão pôr do seu bolso o dinheiro necessário para pagar as despesas correntes.

Também é preciso referir que esse apoio deve ser concedido a título excepcional, ou seja, a pessoas realmente necessitadas, e não a outras que aparentemente não apresentam rendimentos mas têm vasto património e contas de depósitos bancários bem nutridos.

Anónimo disse...

Ao senhor anónimo das 22.49...
É claro e mais que óbvio que o nome ASSOCIAÇÃO está bem aplicado. Quem pensa ser você? Por acaso sabe a definição de Associação?
"Associação é uma organização resultante da reunião legal entre duas ou mais pessoas, com ou sem personalidade jurídica, para a realização de um objetivo comum"
Informe-se e fale do que sabe!
É com cada um, haja paciência!

Anónimo disse...

senhor doutor de letras das 10:23
mesmo que a palavra associação seja bem aplicada, pelo menos não soa lá muito bem.
Eu não ando com dicionarios presos à cintura e nem sequer um tenho.

Vivo a 10 minutos de carro de PD e até já contribui para um jantar desses e nem fui lá comer.
O que eu disse foi que a palavra não me soava bem, porque para quem sabe pouco como eu, associação nesse sentido cai mal no ouvido.

Tá bem, mesmo que seja a palavra direita mas mesmo a ser direito à coisas que não caiem bem.

Seja lá como for, o presidente da camara devia pagar e limpar o seu nome da divida que se cometeu quem sofre são os seus municipes pobres.
Assina o mesmo Lourenço que se esqueceu de assinar o nome no comentátio anterior.

Anónimo disse...

aquele burro que diz que há dinheiro para piscinas havia era de agradecer muito ao joão lourenço por tão boa iniciativa de uma piscina aquecida que no tempo em ele e eu nos criavamos a nossa piscina era desfolar as pernas na poça de fora e na poça de dentro. voces não critiquem o joão lourenço que tem cido um homem que muitas obras tem feito neste concelho.e basta estar ausente uns tempos da ilha para achar a diferença.