terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Associação Agrícola das Flores recebe apoio governamental de 111 mil €uro$

A medida já foi publicada no «Jornal Oficial [da Região]» e destina-se ao apoio técnico à agricultura e pecuária [florentinas].

O Governo [Regional] dos Açores atribuiu à Associação Agrícola da ilha das Flores uma ajuda financeira no valor de 111.429 euros. Concedida por portaria do secretário regional da Agricultura e Florestas, hoje publicada no «Jornal Oficial [da Região Autónoma dos Açores]», aquela verba destina-se a apoiar “a assistência técnica adequada junto das explorações dos seus associados, bem como promover a formação, a divulgação e a informação técnica junto dos agricultores florentinos”.

A decisão é justificada com o facto da actividade da Associação Agrícola da ilha das Flores se revestir da “maior importância para o desenvolvimento e fortalecimento das actividades agrícola e pecuária” naquela ilha do Grupo Ocidental, possibilitando, através do associativismo, “um grande incremento para a modernização do sector nesta ilha”.

A mesma portaria lembra ainda que compete à Secretaria Regional da Agricultura e Florestas “apoiar a organização, a estruturação e o desenvolvimento das várias formas de associativismo agrícola para os fins e modalidades que sejam consideradas mais viáveis e proveitosos para a economia regional”.


Notícia: «Jornal Diário» e o sempre inestimável "serviço informativo" do GACS [Gabinete de Apoio à Comunicação Social, da Presidência do Governo Regional dos Açores].
Saudações florentinas!!

13 comentários:

DR.PARDAL disse...

Antigamente não havia tantas «ajudas» e os lavradores obtiam mais rendimento e tinham mais poder.

Com estes novos tempos, cuja ideologia é eliminar o produtor e colocá-lo à mercê da caridade pública, de vez em quando os srs secretários, fazendo jus à sua magnanimidade e amor ao próximo,vão «dando» uns «cobres» para abafar a revolta.

É como o RSI.

Anónimo disse...

HARDLINK disse:

Antigamente todos gostavam de trabalhar e ver o trabalho feito.

Hoje em dia todos vêem o trabalho feito mas não gostam de trabalhar.
DCA

Anónimo disse...

Este Governo desgovernado antes paga-se as reformas aos agricultores pois já há 3 meses que não as recebem!
Mas é muito bem feito afinal o povo gosta de votar no partido da rosa e cada vez existem mais socialistas, até parece que está na moda! Eu cá quero continuar a ser diferente! É vergonhoso...

Anónimo disse...

governo anda esquesendo mandar dinheiro para pagar leite na nova coop ocidental.anda tudo na falencia.

Anónimo disse...

sem a ajuda do governo o que seria dos lavradores e pescadores?é so subsidios,gasoleo mais barato etc,e ainda se queixam que o governo não presta...

DR.PARDAL disse...

Antigamente os lavradores não tinham tantos subsídios e tantos "mimos" dos governos, mas tinham mais independência, liberdade, rendimento e mais futuro nesta actividade.

Por que será?

Eu sei a resposta, mas quero que o comentador acima puxe pela sua cabecinha.

Anónimo disse...

dr.pardal sei que o senhor tem resposta para qualquer comentário então diga a resposta ao nosso amigo das 23.25,assim eu tambem aprendo alguma coisa se é que o senhor sabe ensinar...

DR.PARDAL disse...

O Dr.Pardal só atende no seu consultório e com dinheiro à vista.

Com «iva» ou «sem iva»?

Anónimo disse...

o pardal se fosse da minha idade não dizia a conversa que antigamente os lavradores não recebiam tantos subsidios. o senhor fica a saber que antigamente não havia subsidios para os lavradores havia sim bastante trabalho se quese-sem ter alguma coisa. eu com os meus 12 anos levantava-me ´`as tres da manhã para ir tirar o leite a pé e descalço e ter que chegar a casa antes das sete para ir para o trabalho e à tarde era a mesma luta e só havia devertimento aos domingosou esntão um baile no sabado que ter minava quase na hora de ir tirar o leite ás vacas. hoje os lavradores estão se conselando já não se carrega incensos nem lanha para a lareira .

Salazar disse...

Este montante parece ser uma grande oferta, mas de facto não o é, destina-se sim a pagar os custos do proximo congresso da carne que se vai realizar nas Flores em 2010, que deveria ter sido realizado em 2009 e por incompetencia da nossa associação agricola não o foi.
Resta-nos agora esperar e ver se esta gente é capaz.
Gostaria ainda de referir que ao nivel das ajudas comunitarias se os caros leitores forem ao mapa dos pagamentos do IFAP veêm que todas as ajudas que dizem respeito aos produtores de leite estão em dia o que não é verdade em relação aos da carne, ou seja os de S.Mmiguel e Terceira estão pagos, nós que aqui já temos dificuldades acrescidas ainda estamos á espera.

Anónimo disse...

Acho que não leram bem a noticia o dinheiro destina-se á associação agricola e não aos Lavradores, onde a associação o vai empregar é que está o problema , e não resolver os problemas da Lavoura .

DR.PARDAL disse...

Caro anónimo das 09:26:

Também nessa altura o então presidente da Câmara ou o Sr. Dr. Juiz não tinham televisão, nem micro-ondas, nem ligação à internet,etc.

A marcha inexorável das transformações económicas e sociais não se compadece com essa visão simplista.

A verdade é que os lavradores nessa altura tinham muitas dificuldades, mas eram mais livres e felizes do que hoje em dia.

Hoje andam enrolados em burocracias, papéis, nibs, nifs, siss,como vulgares amanuenses duma repartição, e tudo isto para justificar uma certa politica agrária; justificar muitos cargos politicos; justificar muito funcionalismo público e consequentemente proporcionar preços baixíssimos à generalidade da população consumidora, principalmente aos que trabalham no Estado e no sector terciário.

Hoje em dia os agricultores são equiparados a funcionários do Estado, sem as regalias e a protecção que estes têm estatutáriamente.

Qualquer dia vão dizer que o lavrador não pode criar porcos pretos, pois algum cérebro da Secretaria ou do Ministério vai decretar que só se pode criar porcos brancos ou cruzados alentejanos, e ainda por cima 2 por agregado ou exploração, devidamente registados e fiscalizados.

Anónimo disse...

Os 111 mil euros é para pagar calotes de alguns sócios mais oportunistas,e tambem falta de controlo nos armazéns no que entra e sai.