sábado, 13 de fevereiro de 2010

Folia carnavalesca na ilha das Flores

Nas Flores e no Corvo, ao longo de quatro dias são organizadas diversas festas, nas quais não faltam os mascarados e algumas iguarias típicas da época. Os habituais bailes e "assaltos" marcam o Carnaval nas ilhas das Flores e do Corvo. Para ajudar existe sempre uma ementa específica, na qual não podem faltar as malassadas e os coscorões.

Na ilha mais ocidental da Europa, as Flores, as tradições carnavalescas não diferem muito das que se realizam um pouco por todo o arquipélago. Assim, o costume é organizarem-se bailes de máscaras e assaltos.

O Carnaval é normalmente celebrado com os típicos bailes, segundo avança ao «Expresso das Nove», Márcio Mendes, responsável pelo espaço Hotel Café, do Hotel Ocidental. Uma das tradições dos florentinos é a realização dos típicos "assaltos em casa das pessoas" havendo mesmo quem os "organize em espaços públicos".

Este ano, o Hotel Café irá manter a tradição de organizar as festas de Carnaval e aposta nas festas temáticas para os dias 12, 13 e 15 de Fevereiro, com animação musical através da presença de um dj convidado, de forma "a dar mais alguma qualidade à nossa casa". O responsável adianta ainda que irá contar com casa cheia, num espaço que alberga cerca de 200 pessoas. A entrada será novamente gratuita, à semelhança do que aconteceu no réveillon.

Segundo o responsável [do Hotel Café], esta já não é a primeira vez que se organiza este tipo de eventos, que já ocorrem desde 2005. Márcio Mendes refere ainda que os florentinos têm por costume fantasiar-se e juntar-se em convívio, "pregando partidas e sustos" vivendo a máxima de que "no Carnaval ninguém leva a mal". O florentino adianta ainda que é costume as associações locais organizarem bailes temáticos com música ao vivo, e os restaurantes promoverem jantares de Carnaval na ilha.

As iguarias típicas desta festividade no ponto mais ocidental da Europa não fogem à regra. As filhoses e as malassadas são os doces típicos desta festividade que estarão à mesa dos habitantes da ilha das Flores.


Notícia integrante da edição de 12 de Fevereiro do semanário regional «Expresso das Nove».
Saudações florentinas!!

7 comentários:

Anónimo disse...

quem escreveu isto deve ser de são miguel por falar em malaçadas. vem a ser filhoses á moda das flores.

DR.PARDAL disse...

Fui convidado para um «assalto» e vou levar na cesta «linguiça do braga», «vinho de cheiro do pico», «bolo do tijolo» e «filhoses».

Anónimo disse...

quem me dera comer um bocado de bolo de tijolo com leite foi a minha ceia muitas vezes e também não quero esquecer as papas de farinha de milho feitas no caldeirão e no lume de lenha comidas com o leite já frio para que elas arrefeçesem e ia-se comendo de roda do prato era onde arrefecia mais de pressa. belas comidas e saudaveis.

Anónimo disse...

Hardlink irmana-se ao comentador de 14 de Fevereiro 09:36.

Era mesmo assim! O bolo do tijolo, que cheirava na casa toda. Quando quente, comia-se com leite frio.

E ainda,o bolo duro do forno, das cozeduras de pão. Em rapazinho, estava sempre rente a minha mãe, para fazer o meu próprio bolo da rapadura do alguidar de barro. Por vezes este, de tanto ser usado, partido e remendado,estava gateado em muitas partes.

O meu pai gateava a louça partida da vizinhança.

Todos tinhamos o nosso bolo enfeitado com as dedadas da ponta do indicador. O bolo quanto mais fino melhor;isto, claro; p'ra quem tinha dentes. Por estas, e outras coisas antigas, dá-nos saudade.

Todavia, se houvesse opção de retroceder na vida desde o princípio, optaria para (seguir o enterro) Para trás nunca mais iria...


Denis Correia Almeida
Hamilton, Ont. Canadá.
hardlink@ AOL.com

Azoresub-Bluewater disse...

humm ja tou a ficar com fome ninguem tem nada ai para mim! lol ;)


http://azoresub-bluewater.blogspot.com/

ze cácá disse...

pois é era assim antigamente,agora a juventude quer e copos

Anónimo disse...

querem uns copos e só fazer estilo. trabalho ai-te embora.