domingo, 14 de fevereiro de 2010

Foi há 9 meses, votação na Assembleia Regional disse: N-Ã-O à sorte de varas!


Textos (na altura) publicados no «Fórum ilha das Flores»: N-Ã-O à sorte de varas nos Açores!!!, Que hoje não seja um dia de tremenda vergonha para os Açores autonómicos... e Deputados florentinos "preencheram o totobola" na votação da legalização nos Açores de touradas com sorte de varas.

5 comentários:

Anónimo disse...

quem votou a favor é tanto assassino como aquelos que matam as pessoas.ASSASSINOS

DR.PARDAL disse...

Nunca é mais recordar a ignomínia que aconteceu na Assembleia Legislativa dos Açores no ano passado quando um vasto grupo de deputados subscreveu a legalização da sorte de varas nos Açores.

Foi talvez o episódio mais degradante desde que a autonomia democrática foi implementada nos Açores.

Graças a Deus que essa vergonha não passou, pois teria manchado definitivamente o espírito do novo Estatuto de Autonomia dos Açores.

É bom que os florentinos e todos os açorianos vejam este video e memorizam o nome desses «deputados-toureiros» para que nas próximas eleições os denunciem e os rejeitem liminarmente.

Quanto à votação dos deputados florentinos ela afigurou-se muito curiosa.

Como é que uma ilha que não tem - felizmente! - essas «tradições» bárbaras e cobardes - tem deputados que votaram sim e nim?

Só pode ser por puro carreirismo ou «carneirismo» consubstanciado na obediência ao mestre da fanfarra...

Anónimo disse...

nunca apoio o pardal mas nesta não poço deichar de lhe dar o meu apoio.

Di disse...

Nelson

Convém não esquecer porque as preces mais tarde ou mais cedo vão voltar.

Muito bem lembrado.

Diogo

Anónimo disse...

É um dia histórico, pelos piores motivos.
Não houve esquerda, nem direita, nem " centrão", estiveram todos unidos na cedencia a interesses. A reforma do país tem de começar pela reforma política e esta deve começar pela alteração do sistema eleitoral para que os deputados possam ser responsabilizados e pensem duas vezes se querem obedecer ao chefe do partido ou a quem os elegeu.E , já agora , a quem tão bem lhes paga.