domingo, 15 de agosto de 2010

Publicidade institucional foi legislada

A portaria que regulamenta a legislação recente do Parlamento [regional] açoriano para garantir “transparência” na aquisição de publicidade pelos serviços das administrações local e regional foi publicada esta quinta-feira [dia 12], entrando em vigor no dia seguinte.

O diploma publicado no Jornal Oficial fixa o prazo para emissão do relatório sobre a publicidade institucional contratada e estabelece os deveres das várias entidades envolvidas no processo.

Proposta pelo PCP, a legislação do Parlamento [regional] açoriano criando normas para assegurar “transparência” na aquisição de publicidade aos órgãos de comunicação social por partes das administrações regional e local, mereceu o apoio do PS.

No debate gerado em torno do tema, o PSD acusou o Governo Regional de “prejudicar uns e beneficiar outros” no quadro de uma estratégia de benefício dos interesses partidários. Em resposta, o Executivo [Regional] sublinhou que “a publicidade institucional não é um apoio aos órgãos de comunicação social, mas um serviço que se compra no mercado”, fundamentando-se, por isso, na obtenção da “melhor relação entre eficácia e custos”.


Notícia: «Açoriano Oriental», RDP/Antena 1 Açores, «Jornal Diário», «Diário de Notícias da Madeira» e o sempre inestimável "serviço informativo" do GACS [Gabinete de Apoio à Comunicação Social, da Presidência do Governo Regional dos Açores].
Saudações florentinas!!

1 comentário:

DR.PARDAL disse...

A «publicidade instituicional» tem sido ao longo destes anos, e já desde o tempo do virginal João Bosco, um bom veículo e um bom pretexto para distribuir favores à «cu-municação» social de reverência, perdão, de referência.

Parece quem S.Miguel há um orgão de «cu-municação» que tem uma tiragem maior do que o «Diário de Notícias» de Lisboa...

Subsídios, oblige...

Agora é que vão «regulamentar»...

E por que é que já não regulamentaram há uma ou duas décadas?

Vão mas é brincar com a bliquinha pr'areia...