quarta-feira, 10 de março de 2010

Nem metade das autarquias açorianas efectuaram a entrega do plano para a prevenção dos riscos de corrupção

Uma em cada cinco autarquias do Continente e ilhas ainda não entregou o plano para prevenção dos riscos de corrupção. Estas são as conclusões a retirar da lista publicada na internet pelo Conselho de Prevenção da Corrupção. Segundo o documento, até ao final do mês de Fevereiro foram recebidos planos de 708 das cerca de 900 entidades públicas abrangidas pela recomendação feita em Julho de 2009 a todas as entidades que gerem dinheiros públicos.

Da lista publicada pelo Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC), que funciona junto do Tribunal de Contas, também não consta a Polícia de Segurança Pública (PSP) nem a Guarda Nacional Republicana (GNR), nem os governos civis de Lisboa, Leiria, Guarda e Portalegre.

Dos 308 municípios, 65 Câmaras Municipais não entregaram planos de prevenção de riscos da corrupção.
Nos Açores, dez das 19 autarquias não entregaram planos [município do Corvo entregou, os municípios de Santa Cruz e das Lajes das Flores não entregaram (cf. a páginas 13)]. E no que refere às 4.260 freguesias portuguesas, apenas uma Junta de Freguesia aparece na lista das entidades públicas que entregaram planos ao CPC. Nas restantes áreas, não constam, na respectiva lista, a RTP nem a Agência Lusa, a Carris ou Caixa Geral de Depósitos.

Apesar de a recomendação não ter carácter obrigatório, a falta de entrega dos planos de prevenção dos riscos de corrupção ao CPC é motivo para "responsabilidade agravada" em caso de detecção de falhas nas auditorias que os serviços de inspecção estatal realizam às entidades públicas.


Notícia: «Jornal Diário».
Saudações florentinas!!

11 comentários:

Anónimo disse...

na camara de santa cruz não há corrupção! heheheehehehehehehehehhe

DR.PARDAL disse...

Vamos ser sérios.

Nas câmaras não há corrupção.

É tudo gente impecável e que ao domingo vai à missa e põe a mão no peito.

Nunca ouvi falar que alguém roubasse alguma coisa que fosse deles...

INSURGENTE disse...

As Câmaras são em geral os locais de governação aonde existe um maior tráfico de influências.

Em muitos casos é visível aquilo que possuiam antes, e o que têm hoje.
Não é preciso irmos muito longe...
Se assim não fosse, não existiria a coaxão que houve sobre as pessoas nas ultimas eleições para que os mantivessem no poder.


Aqui,(e ali..)antes das eleições,sempre que o presidente dava(?)alguma coisa a um munícipe,era recorrente dizer:
Não te esqueças de mim!
Claro que eles não se esqueceram,e as famílias tambem não...logo,continuam o seu caminho,democráticamente eleitos.
Isto de "dar com uma mão,sem que a outra veja",só mesmo na Biblia.

Anónimo disse...

Ao comentador das 21:54

Nas Lajes, diz que dão com as duas mãos.

Pato Bravo disse...

Nas Flores porventura alguém fazia isso?
Jamé...

Anónimo disse...

honestidade não é sinónimo de politica e os dois não se dão bem!
Em santa cruz são todos honestos, heheheheehehehheheheheheheh...

Anónimo disse...

meninos vamos arregaçar as mangas e ir ao palheiro buscar o sacho que á anos anda a criar feruz e preduzir que o tempo da mãma já acabou e se não tive-se havisto tanta mãma e tanto pedir o pais não tinha chegado ao ponto que chegou. agora só há uma solução ir em frente dobrar a coluna e cultivar estes quintais cheios de cana-roca que no meu tempo era era os quintais do pão nosso de cada dia. muitosd pensavam que isto não voltava para trás mas eu sempre previ isso era um tal bota a baixo.

DR.PARDAL disse...

Na verdade houve dois comentadores que previram o regresso ao sacho, ao inhame da ribeira, à boa e ancestral sopa de agrião e aos «bifes das cumbradas».

Esses comentadores foram os seguintes: o ilustre comentador anónimo das 10:40 de hoje, pois sempre preconizou que essa malta nova fosse cavar quintais em vez de empinarem cerveja todo o dia; e o outro foi o nosso saudososo FDM que abalou novamente para a América antes que visse confiscado as suas poupanças pelo regime nacional-chuchialista vigente.

O FDM bem nos avisou, mas a malta não deu ouvidos a ele , pois este pessoal só quer é: boas reformas, chorudos subsídios e bons «empregos».

Trabalho?

Vai-te embora!....

Anónimo disse...

memorias de um povo---.passei por este blog e encontrei fotos antigas e uma delas foi publcada recente no porto das lajes no lugar que avia um guindastre de ferro que trabalhava a pão de milho e agente andavamos descalços por não aver dinheiro para comprar sapatos e esta foto deve ser dos anos 60. era penar naquele tempo para se ganhar um escudo. escreveu um velhinho.

Anónimo disse...

ainda vai chegar a esta altura de andarem descalços, para lá vamos.

Anónimo disse...

mais uma bela foto que encontrei no memorias de um povo. fazenda das lajes aquela linda paisagem de serrados de milho, e era assim em toda a ilha pois o pão de casa era o de milho que hoje em dia está pelo preço do oiro.escreveu um velhinho.