quinta-feira, 26 de maio de 2016

Aumento do Parque Marinho dos Açores

A Assembleia Regional aprovou por unanimidade a ampliação do Parque Marinho do arquipélago, que passa a ter 17 áreas marinhas protegidas.

Passam a ser “classificadas quatro novas áreas marinhas protegidas, que formalmente são seis, uma vez que duas delas têm que se dividir em áreas dentro e fora da Zona Económica Exclusiva”, afirmou Fausto Brito e Abreu.

A área marinha do arquipélago submarino do Meteor é uma zona localizada a sul dos Açores, com mais de 120 mil quilómetros quadrados, tendo sido descrita a “presença de recursos minerais com algum potencial. Trata-se de uma área de enorme biodiversidade, geodiversidade, e de grande importância estratégica para os Açores e para Portugal”, defendeu o governante.

Já a área marinha protegida de perímetro de proteção e gestão de recursos localizada a sudoeste dos Açores tem “um elevado potencial para a exploração mineral” e a sua classificação “é uma forma de garantir a conservação da diversidade dos seus habitats e espécies”.

A classificação da área do banco Condor reconhece esta zona “como um local importante para a conservação de recursos pesqueiros” e dos ecossistemas, enquanto a do banco princesa Alice “é uma zona de pesca importante de espécies demersais e de grandes pelágicos, que tem também grande importância para o desenvolvimento de atividades marítimo-turísticas”. Esta última área é visitada regularmente por jamantas, constituindo-se como um dos melhores locais para observar estes animais no Atlântico.

A ampliação do Parque Marinho dos Açores não contempla novas restrições ao desenvolvimento das atividades da pesca e marítimo-turísticas, adiantou o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia. A oposição parlamentar pediu mais e melhor fiscalização das áreas marinhas protegidas.


Notícia: jornal «Açoriano Oriental» e rádio 105 FM.
Saudações florentinas!!

Sem comentários: